UA-40840920-1

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Bourjois | Liner Feutre, tono 13 Noir Violine


Cuando comencé a gustar de usar delineador de ojos más cargado, negro, opté por una solución más simple, en formato de bolígrafo, de Bourjois. Ya no sé cómo o cuándo llegué al primero, pero, desde entonces, ya tuve varios productos del género, que uso cuando quiero una línea más definida y fina que la del lápiz, simple, que se haga en dos minutos.

Recientemente, encontré en la página de Bourjois en promoción, el Liner Feutre (la nueva generación de aquel primer negro que compré hace años), tono 13 Noir Violine que es, en realidad, un berenjena bonito. Sabiendo que sería siempre un tono que quedaría bien en los ojos castaños o avellanas, lo compré sin probarlo, sin verlo en la tienda. ¡Y tuve suerte!


Con una punta de fieltro más larga que la anterior, si no me engaño, este delineador de ojos es perfecto para que no se lleva bien con pinceles o productos en gel o líquidos. Parece un bolígrafo normal, con una punta fina, con el que dibujamos una línea de forma más práctica y eficiente, especialmente si tenemos una mano poco precisa y firme. Creo que es, un poco más difícil de trabajar que los otros con los cuales ya estaba habituada, más cortos, pero asumí que debería ser falta de práctica con esta nueva versión, más preparada para la definición de una línea fina de lo que otra.


La línea, después de definirla, permanece por largas horas, sin moverse, saliendo apenas con un desmaquillante. Yo tuve que usar un bifásico, para productos a prueba de agua, que mi piel es una posesiva vanidosa y no le gusta nada perder los colores que le voy dando. El clima está seco por aquí, lo que puede contribuir para esta performance, pero en Abril lo probaré con un clima más húmedo y caliente y luego os diré como se porta.


Ahora, el lado menos interesante. Por ser un delineador de ojos en fieltro (y como acontece con tantos productos de maquillaje), con forma de bolígrafo, a veces nos descuidamos y lo dejamos abierto o de cabeza para arriba. Seca rápidamente. Es importante que lo guarden de cabeza para abajo, con la tapadera bien cerrada, para evitar que dure poco tiempo. Ya tuve tres Liner Feutres de Bourjois y hubo uno de ellos que, en las idas y venidas de viajes, acabó secándose y poco uso le dí. Supongo que este, de la misma línea, necesite del mismo cuidado y atención.

Bourjois es una marca que se encuentra facilmente en Portugal y España, en las perfumerías o hasta en algunos supermercados, y es accesible en el mercado brasileño, a buenos precios, en la Dufry. Para mí, los Liners Feutre son un producto bueno, bonito y más accesibles que otros delineadores. En la página de Bourjois en Francia cuestan en precio normal, 12,60€ y yo compraba los míos en Balvera, con 30% de descuento para clientes. No llegaba a los 10€. En la Dufry brasileña están a la venta por 17 dólares (cerca de 41 reais), lo mismo que la página fancesa de la marca.

trad.- Mayte Rodríguez Moro

Mexidinha de Couve-Flor

 por Carol Vannier

Melhor do que receber uma dica boa é passar essa dica adiante, né? Então lá vai: sabe um jeito fácil e gostoso de usar uma couve-flor inteirinha, sem muita complicação, e ainda de quebra substituir um bocado dos carboidratos do seu prato? Tritura e refoga ela!

Você pode fazer isso com a couve-flor e também com o brócolis americano, que tem uma estrutura bem parecida, mas o brócolis ainda não experimentei. É só usar um processador, jogar as florzinhas ali e triturar com a lâmina dupla. A aparência final é de uma farofa grossa, e por conta de estar assim tão picadinha, o cozimento fica bem mais rápido. Olha a vantagem!



Talvez você seja daqueles que não gosta de couve-flor, talvez você associe a pobrezinha àquele cheirinho de pum... mas saiba que esse cheiro só costuma aparecer quando ela é cozida na água ou no vapor. Eu já tinha percebido que assando no forno ou na churrasqueira o cheiro não aparecia, e nesse método picadinho também não aparece. Mais vantagem!

Então se quiser fazer uma guarnição simples, pode triturar a couve-flor (ou o brócolis americano, ou os dois), aquecer uma frigideira com azeite, começar refogando um pouco de alho picadinho*, e depois adicionar a couve-flor, mexendo de vez em quando pra não deixar agarrar, por no máximo 5 minutos pra não ficar molenga. Sal e pimentinha do reino e tá pronto. Ou você pode fazer disso o início de uma mexidinha, que é o meu jeito favorito de comer um monte de vegetais e ainda assim me sentir almoçada.

A idéia da mexidinha é colocar o que tiver na geladeira. Eu começo fritando cebola ou alho, ou ambos, coloco qualquer coisa que exija algum cozimento mais longo, tipo talos de couve, pedaços grandes de cenoura (se for ralada é bem mais rápido) etc, e vou rumo às coisas que cozinham mais rápido, ou que eu só quero dar uma aquecida. Eu coloco algum grão que já esteja cozido antes (arroz integral, cevadinha, quinoa...) para dar uma sustância, e pronto.

Nessa última mexidinha eu usei meia couve-flor triturada, todas as folhas não amareladas da couve-flor, incluindo os talos (entraram separados das folhas), 3 rabanetes picados em cubinhos e as poucas folhas de rabanete que eu consegui salvar (a maioria já estava muito murcha), uns 6 dentes de alho e arroz Ráris 7 Cereais Integrais. Para temperar, sal, pimenta calabresa, pimenta do reino e um fiozinho de azeite já no prato. Rendeu para 3 ou 4 pessoas. Meu método foi meio experimental, mas foi basicamente assim:

  • Comecei com azeite na frigideira, depois metade do alho picado, depois os talos da couve flor picados, depois a couve-flor triturada, sal e pimenta, depois o arroz já cozido e os rabanetes, esses dois últimos só pra aquecer. 
  • Em outra frigideira foi a outra metade do alho e depois as folhas fatiadas fininho e sal. Eu refoguei as folhas separadas do resto porque fiquei com medo de não acertar o ponto delas se misturasse com tudo. 
  • Depois foi só misturar tudo, acertar o tempero e preparar um queijo coalho grelhado em cubos para acompanhar (totalmente opcional! a mexidinha tinha interesse o suficiente pra ser comida sozinha, mas tinha esse queijinho sobrando na geladeira...)




* Uma das maiores vantagens de ter uma faca boa, com curvatura (faca de chef), é poder fazer esse movimento de vai e vem pra picar coisas bem fininho, e o alho é das coisas que mais se beneficia. Quando você espreme no espremedor, ele já solta o "caldinho" dele, e na firigideira logo o caldinho evapora e o resto queima muito fácil. Já picadinho na faca ele mantém o caldinho e aguenta ser refogado muito melhor. Sem contar que é bem mais gostoso que aquele comprado já picado no pote.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Bourjois | Liner Feutre, tom 13 Noir Violine


Quando comecei a gostar de usar um eyeliner mais carregado, preto, optei por uma solução mais simples, em formato de caneta, da Bourjois. Já não sei como ou quando cheguei ao meu primeiro, mas, desde então, já tive vários produtos do género, que uso quando quero um risco mais definido e fino que o lápis, simples, que se faça em dois minutos.


Recentemente, encontrei no site da Bourjois em promoção, o Liner Feutre (a nova geração daquele primeirinho preto que comprei há anos), no tom 13 Noir Violine que é, na realidade, um beringela lindo. Sabendo que seria sempre um tom que ficaria bem em olhos castanhos ou avelãs, como os meus, comprei-o sem testar, sem nem o ver na loja. E tive sorte!


Com uma ponta de feltro mais comprida que o anterior, se não me engano, este eyeliner é perfeito para quem não se ajeita com pincéis ou produtos em gel ou líquidos. Parece uma caneta normal, com uma ponta fina, com a qual desenhamos um traço de forma mais prática e eficiente, especialmente se temos uma mão menos precisa e assertiva. Achei-o, contudo, um bocadinho mais difícil de trabalhar do que outros com os quais já estava habituada, mais curtinhos, mas assumi que deveria ser falta de prática com esta nova versão, mais preparada para a definição de uma linha fina do que a outra.


O traço, depois de definido, permanece por longas horas, sem se mexer, saindo apenas com um desmaquilhante. Eu tive de usar um bifásico, para produtos à prova d’água, que a minha pele é uma possessiva vaidosa e não gosta nada de perder as cores que eu lhe vou dando.  O clima está seco por aqui, o que pode contribuir para esta performance, mas em Abril testá-lo-ei com um clima mais húmido e quente e logo vos direi como se porta.

Agora, o lado menos interessante. Por ser um eyeliner em feltro (e como acontece com tantos produtos de maquilhagem), com formato de caneta, às vezes descuidamo-nos e deixamo-lo aberto ou de cabeça para cima. Ele seca rapidamente. É importante que o guardem de cabeça para baixo, com a tampa bem fechada, para evitar que ele dure pouco tempo. Já tive três Liner Feutres da Bourjois e houve um que, nas idas e vindas de viagens, acabou por secar e pouco uso lhe dei. Presumo que este, da mesma linha, necessite do mesmo cuidado e atenção.

A Bourjois é uma marca que se encontra facilmente em Portugal, nas perfumarias ou até em alguns supermercados, e está acessível ao mercado brasileiro, a bons preços, na Dufry. Para mim, os Liners Feutre são um produto bom, bonito e bem mais acessível do que outros delineadores. No site da Bourjois em França custam, em preço normal, 12,60€ e eu costumava comprar os meus na Balvera, com 30% de desconto para clientes. Não chegava aos 10 euros. Na Dufry brasileira estão à venda por 17 dólares (cerca de 41 reais), o mesmo que no site francês da marca. 

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Too Faced | Chocolate Bar


Desde que a Too Faced espalhou que viria por aí uma paleta de olhos com sombras à base de cacau natural 100%, com cheirinho a chocolate, não foi preciso muito para perceber que essa seria uma excelente oportunidade para testar a marca. Já tinha lido e ouvido maravilhas às sombras, portanto, mesmo sem tester, decidi trazer a Chocolate Bar assim que a vi no balcão da Sephora (com 20% de desconto feito por um caixeiro brasileiro que descobri este mês e que se tornou rapidamente o meu favorito).

A embalagem, que é nela que se fixam os olhos em primeiro lugar, é um estojo em metal, castanho, como se fosse uma barra de chocolate. Fecha com um íman, que segura o suficiente para não abrir quando está de cabeça para baixo, mas não tanto quando os da Inglot, podendo ceder com alguma facilidade e comprometer as sombras em viagem, por exemplo. Parece-me daqueles estojos rígidos, do género, que tínhamos (ou eu tinha, pelo menos) na escola primária que, no final do ano, já nem fechava de tão desengonçado que estava. Atrás vem a descrição da colecção de 16 sombras, inspirada num dos best-sellers da Too Faced, o Chocolat Soleil Bronzer (que alguém ficou logo curiosa de experimentar), que complementa, supostamente, qualquer tom de pele.


Abrindo a caixinha, que é o que mais nos interessa, sentimos imediatamente o cheirinho a chocolate. Não é nada enjoativo, nem a chocolate de leite. É aquele aroma a cacau em pó que usamos nos bolos. Tem um espelho largo, na parte interior da tampa, que servirá perfeitamente para nos maquilharmos, caso não tenhamos outro à mão. Na parte de baixo encontramos as delícias da paleta, 14 sombras com 0,95 g e duas com 2,8 g. A maioria não é muito grande, especialmente quando comparadas com outras paletas, de outras marcas, mas, convenhamos, acabar sombras destas demora sempre imenso tempo.

A diversidade de cores e acabamentos chama logo a atenção. Além dos dois iluminadores, maiores, um mate e outro acetinado, temos uma variedade de tons castanhos, neutros, rosas, e ameixas, arroxeados ou a fugir para o vinho. Algumas sombras são totalmente mate, outras com um acabamento mais brilhante e amanteigado e três com purpurinas grandes. Vemos que temos paleta para dia, noite, maquilhagem neutra ou dramática, sempre em tons mais quentes, o que a torna excelente para quem tem, naturalmente, um tom mais dourado o ano inteiro, ou só no Verão. Caso fiquem pálidas e acinzentadas no Inverno (como eu estou agora), não ficará provavelmente tão bem. Bronzeadas? Lindo!


Passo então às fotos, bem mais eloquentes do que qualquer descrição minha no que toca a cores e acabamentos. Os nomes das sombras são todos bem docinhos, como poderão ver, o que é algo bastante original.


Na primeira fila temos cinco tons:

Gilded Chocolate –Um castanho escuro com purpurinas douradas, que, como os semelhantes, esfarela um bocadinho, embora seja pigmentado ao ponto de não precisarmos de grande trabalho. Cuidado na aplicação porque cai para as bochechas.

White Chocolate – Claramente um iluminador, matte, que pode parecer pouco pigmentado pela semelhança ao meu tom de pele mas é mais macio do que o anterior e cumpre a sua função dignamente. É um beige clarinho, quente/amarelado.

Milk Chocolate – Um castanho claro mate , macio, que em duas camadas fica bom, embora não se destaque logo à primeira vista ou aplicação.

Black Forest Truffle – É um ameixa com purpurinas prateadas e avermelhadas, que também esfarela, podendo cair para as bochechas quando aplicado. É daquelas que precisam de cuidado e de um bom primer.

Triple Fudge – Castanho escuro mate, que deixa a desejar em termos de pigmentação. Tem se ser bem trabalhado na pálpebra. Não é dos piores mates que já vi, atenção, mas especialmente quando comparado com outras sombras, na paleta, morre na praia, servindo para escurecer um canto externo do olho ou a zona do côncavo, por cima de outra, mas muito tímido se usado sozinho.


A segunda fila tem seis tons:

Salted Caramel – um castanho caramelo, mais alaranjado, também mate, mas francamente melhor do que os anteriores. Pigmentado e cremoso q.b. para uma sombra com este acabamento. Surpreendeu-me.

Marzipan – Foi a primeira das sombras que me fez  abrir um sorriso grande de satisfação. De acabamento acetinado, é amanteigada e pigmentada, aplicando-se sem grande esforço ou necessidade de pincel-maravilha. É um rosa velho, com laivos de champagne quando aplicado.

Semi-Sweet – Um castanho médio, mate, de subtom quente, que se porta muito bem. Não fica opaco na primeira passagem, mas pode ser trabalhado, quase sem esfarelar, obtendo um tom castanho muito bonito e versátil.

Strawberry Bon Bon – É um rosa barbie que, depois de aplicado, fica bastante claro. É macia e pigmentada, embora tenha uma aparência poeirenta, se mal esbatida. Aplicá-la em camadas e “limpando-a” a cada passagem, ajuda a ficar bem.

Candied Violet – Um roxo de subtom frio/azulado com purpurinas prateadas e rosa choque. Estava à espera de algo de pior qualidade, pelo acabamento, mas, apesar de esfarelar, à semelhança do Black Forest Truffle, é mais pigmentada e macia (embora nem se compare às acetinadas).

Amaretto – Um cobre avermelhado, que puxa para o vinho (mais na paleta do que na pálpebra. É acetinada, pigmentada e amanteigada. Daquelas que quase se aplicam sozinhas.


A terceira fila continua com os neutros:

Halzenut – Um castanho médio acobreado, avermelhado, numa sombra acetinada e com algumas purpurinas muito fininhas. É bem pigmentada e cremosa, das de se levantar o chapéu.

Crème Brulée – É um dourado discreto, acetinado. Uma sombra de acabamento metálico, mas não é excessivamente brilhante, e é bem pigmentada e amanteigada. Com a pele bronzeada, deve ficar fantástica (bem conjugada com outro tom).

Haute Chocolate – Castanho mais escuro e acetinado, ligeiramente menos pigmentado que as anteriores, e menos macio ao toque, mas igualmente bonito.

Cherry Cordial – Parece-me um beringela com subtom vermelho, mate e com purpurinas. É, talvez, dos mates mais pigmentados da paleta, não se assemelhando, contudo, às vizinhas acetinadas. Esfarela um bocadinho, pelo que é mais uma que requer atenção. Gosto especialmente deste tom para uma festa no Inverno, dado que estou no meu pico de palidez.

Champagne Truffle – Mais um iluminador, acetinado, num tom champagne rosado. Na pálpebra fica mais pérola do que rosa, para ser mais precisa. É macia e bem pigmentada.

As melhores sombras em termos de duração são, sem dúvida, as acetinadas, devendo as mate, pelos testes no braço, desaparecer com muito mais facilidade. A opacidade depende bastante do acabamento, também, sendo as mate as menos densas. Ontem usei uma combinação de duas sombras, uma de cada acabamento, e a mais baça e menos pigmentada, como seria de esperar, desapareceu ao fim de algumas horas, mesmo com uma boa base por baixo. A acetinada manteve-se firme até ser removida com o desmaquilhante da Clarins.

No geral, para quem anda à procura de uma paleta de neutros mais mate, não me parece que o consiga com a Chocolate Bar. Para isso, terão a Naked Basics. Quem ainda não tem paletas neutras e quer boas sombras quentes, acetinadas, com as quais possam criar um olho mais discreto, para o dia, e uma maquilhagem com mais brilho e intensa, à noite ou ocasiões festivas, julgo que poderá ser um bom investimento. Complementa muito bem um tom quente, dourado e bronzeado.

Para primeira incursão na Too Faced, confesso que fiquei bastante satisfeita. No global, as sombras fazem jus ao que tenho ouvido da marca. Fiquei curiosa com os restantes produtos, nomeadamente o pó bronzeador, que, pelo que tenho lido, é o “holy grail” de muitas utilizadoras.

A paleta, da coleção de Primavera da Too Faced, marca americana, está à venda na Sephora e ronda os 45 euros, sensivelmente 2,8 € por sombra. 

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Delineadores | El castaño para días menos dramáticos


Cuando quiero delinear mis ojos, color avellana, con un tono no tan oscuro como el negro y más neutro que el azul, recorro siempre al lápiz castaño. Da aquel toque maquillado sin el lado dramático e intenso que el primero, y conjuga bien con mis ojos, cabello y piel de brunette convicta y asumida.

Por eso, y sin más demoras que este será un post comparativo, normalmente más largo, os muestro los lápices de ojos que uso para este fin, unos más oscuros que otros, algunos mate, otros con glitter.


1. Urban Decay 24/7 tono Corrupt - Este lápiz da UD viene en el kit que mi primo más joven me regaló en Navidad y que estoy adorando. En un tono más cobre que el castaño, rojizo, es un lápiz aceitnado, cremoso como los restantes lápices de la marca, y con purpurinas. No es, con todo eso, demasiado brillante cuando es aplicado, dando apenas algún destaque de luz en los ojos, que, aún con eso, para quien aprecia productos más discretos y mate, no será el más indicado. En términos de duración, curiosamente, estando en la línea de los que se portan mejor a lo largo del día, no tiene la misma prestación que sus primos Sabbath o Perversion. Está más cerca del Zero, pero es un poco peor.

2. Bourjois Khôl & Contour Shadow and Light 13 Brun & Caramel - Más una vez, Bourjois fue una de las primeras marcas que me acompañaron, desde esa época en la que solo utilizaba un lápiz y un rimel, transparente, y poco más que un bálsamo labial. Este tiene la ventaja de ser un dos en uno, con el iluminador dorado caramelo en la otra punta. El tono más oscuro es un castaño medio, caliente, bastante pigmentado y cremoso. Garantiza una buena prestación hasta 16 horas y confieso que aguanta bastante, casi sin moverse, aunque nunca lo he puesto a prueba a tal compromiso. Para dos tonos, queda con el sello de ser el mejor en términos de precio/calidad.

3. Body Shop Eye Definer 02: Brun Intense - Fue mi primer lápiz de ojos castaño (¡imagin los años que tiene!) y aún anda aquí, macio. Es muy parecido con el anterior, aunque más claro. Es confortable en la aplicación, cremoso y pigmentado. En los ojos dura menos que el de Bourjois, aunque sirve para aguantar algunas horas en la calle sin moverse mucho. Cuidado para no restregar los ojos porque se puede emborronar.

4. Sephora Khol et Contour Waterproof, 03 Keep Brown - De todos, es el más parecido con el primero, de Urban Decay, pudiendo ser una óptima alternativa, más barato. No es igual, veamos. Es un tono tirando más para bronce, con alguna purpurina, pero mucho más discreto que el de UD. Es cremoso y dura algunas horas, pudiendo difuminar un poco. El lápiz viene con una esponjita que puede ser usada para difuminar el trazo, cuando se quiere algo menos recto y suave. Tiene la gran desventaja de solo venderse en Sephora, inaccesible para mucha gente, aún.

5. L’Oreal Color Riche Le Kajal, 502 Brown - Este lápiz despertó mi curiosidad por afirmarse ser más intenso que los restantes y lo traje en una promoción de “lleve 3 pague 2” de la marca. Es, sin duda, el más oscuro del grupo, pudiendo llegar al casi negro si lo aplicamos intensamente. Ahora, es, igualmente, el que se va más rápido con cualquier gota de agua, sudor, o lo que sea.. Es de los más baratos y, en la Balvera, con las promociones normales, gana tal vez por ser el más accesible, pero no se olviden de llevar en el bolso para retoques, especialmente en el Verano o en días más emotivos.

6. Laura Mercier Longwear Crème Eyepencil, Espresso - ¿Si Laurita alguna vez me decepciono? Hasta ahora, ¡nunca! Este lápiz venía en la paleta de marca que Mamá Noel me dió y que me encanta. Es un lápiz super macio, en un tono castaño más frío e intenso que los primeros, mate y que no se mueve durante horas y horas. Confíen en él que no os dejará en mal lugar. Es el más caro, es verdad, y, de Portugal, sólo lo conseguirán encontrar online na Space.nk, pero, para quien pueda y/o quien viaje hasta un país que tenga mostradores de la marca, y un investimiento de satisfacción garantizada. Este es, sin duda el mejor lápiz castaño del grupo.

Después de los azules y de los negros, juzgué que los castaños merecían entrar en la orden del día con un post sólo para ellos. Seguidos de los coloridos, que no son tantos, pero que van desde el caqui normal, mate al morado intenso y brillante. Que aquí nos gusta variar. Y mucho.

¿Cuál es vuestro lápiz castaño favorito?

Delineadores | O castanho para dias menos dramáticos


Quando quero delinear os meus olhos, cor avelã, com um tom não tão escuro quanto o preto e mais neutro que o azul, recorro sempre ao lápis castanho. Dá aquele toque maquilhado sem o lado dramático e intenso do primeiro, e conjuga bem com os meus olhos, cabelo e pele de brunette convicta e assumida.

Por isso, e sem mais demoras que este será um post comparativo, normalmente mais comprido, mostro-vos os lápis de olhos que uso para este fim, uns mais escuros que outros, alguns mate, outros com glitter.


1. Urban Decay 24/7 no tom Corrupt – Este lápis da UD veio no kit que o meu primo mais novo me ofereceu no Natal e que estou a adorar. Num tom mais cobre do que castanho, avermelhado, é um lápis acetinado, cremoso como os restantes lápis da marca, e com purpurinas. Não é, contudo, demasiado brilhante quando aplicado, dando apenas algum destaque de luz aos olhos, que, mesmo assim, para quem aprecia produtos mais discretos e mate, não será o mais indicado. Em termos de duração, curiosamente, embora esteja na faixa dos que se portam melhor ao longo do dia, não tem a mesma prestação dos seus primos Sabbath ou Perversion. Está mais próximo do Zero, mas é um bocadinho pior.

2. Bourjois Khôl & Contour Shadow and Light 13 Brun & Caramel – Mais uma vez, a Bourjois foi das primeiras marcas que me acompanharam, desde quando eu usava apenas um lápis e um rímel, transparente, e pouco mais do que bálsamo labial. Este tem a vantagem de ser um dois em um, com o iluminador dourado caramelo na outra ponta. O tom mais escuro é um castanho médio, quente, bastante pigmentado e cremoso. Garante uma boa prestação até 16 horas e confesso que aguenta bastante, quase sem se mexer, embora nunca o tenha posto à prova tal compromisso. Para dois tons, fica com o selo de melhor em termos de preço/qualidade.

3. Body Shop Eye Definer 02: Brun Intense –  Foi o meu primeiro lápis de olhos castanho (vejam os anos que ele não tem!) e ainda aqui anda, macio. É muito parecido com o anterior, embora mais claro. É confortável de ser aplicado, cremoso e pigmentado. Dura menos que o da Bourjois nos olhos, embora seja menino para aguentar algumas horas na rua sem se mexer muito. Cuidado para não esfregar os olhos porque pode esborratar.

4. Sephora Khol et Contour Waterproof, 03 Keep Brown – De todos, é o mais parecido com o primeiro, da Urban Decay, podendo ser uma óptima alternativa, mais barata. Não é igual, vejamos. É um tom mais voltado para o bronze, com alguma purpurina, mas muito mais discreto do que o da UD. É cremoso e dura algumas horas, podendo esbater um bocadinho. O lápis vem com uma esponjazinha que pode ser usada para esfumar o traço, quando se quer algo menos recto e mais suave. Tem a grande desvantagem de só se vender na Sephora, inacessível a muita gente, ainda. 

5. L’Oreal Color Riche Le Kajal,  502 Brown – Este lápis despertou-me a curiosidade por se afirmar mais intenso do que os restantes e trouxe-o numa promoção de “leve 3 pague 2” da marca. É, sem dúvida, o mais escuro do grupo, podendo chegar ao quase preto se intensamente aplicado. Agora, é, igualmente, o que se vai embora mais depressa com qualquer pingo de água, suor, o que for. É dos mais baratos e, na Balvera, com as promoções normais, ganha talvez por ser o mais acessível, mas não se esqueçam de o levar na mala para retoques, especialmente no Verão ou em dias mais emotivos.  


6. Laura Mercier Longwear Crème Eyepencil, Espresso – Se a Laurinha alguma vez me decepcionou? Até agora, nunca! Este lápis veio na paleta da marca que a Mãe Natal me deu e que faz as minhas delícias. É um lápis super macio, num tom castanho mais frio e intenso do que os primeiros, mate e que não se mexe durante horas e horas. Confiem nele que não vos deixará mal. É o mais caro, é verdade, e, de Portugal, só o conseguirão encontrar online na Space.nk (por agora, porque a Laura Mercier não tarda nada chega de rompante no mundo lusófono, quero acreditar, porque os produtos são de facto muito bons e nós apreciamos -- Fica a dica Laura Mercier.), mas, para quem puder e/ou quem viajar até um país que tenha balcões da marca, é um investimento de satisfação garantida. Este é, sem dúvida o melhor lápis castanho do grupo. 

Depois dos azuis e dos pretos, julguei que os castanhos mereciam entrar na ordem do dia com um post só deles. Seguir-se-ão os coloridos, que não são tantos, mas que vão do caqui normal, mate ao roxo intenso e brilhante. Que aqui gostamos de variar. E muito. 

Qual é o vosso lápis castanho favorito? 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Series | Homeland (español)

foto:freefever.com

Hay series que me fascinan por lo inesperado, por transmitirme aquella sensación de “sé lo que va a pasar” y después cogerme desprevenida y darme tantas vueltas que ya no sé lo que esperar. Homeland es una de ellas.

Acabamos ahora de ver la primera temporada y fue extremadamente interesante. No es de aquellas series que veo obsesivamente hasta llegar al final (para eso tengo True Blood o Game of Thrones), pero es algo más próximo, más real, inspirado en la CIA y en la forma como los servicios de inteligencia recogen y usan información, en la inminencia de un ataque “terrorista”.

El gran salto de calidad en esta serie, comparada con las otras, del mismo género, se da, para mi, cuando pasan de un mero medio de valorización nacionalista de los EE.UU. y muestran el otro lado, el del “terrorista”. Sin querer revelar mucho sobre la historia, porque los pormenores serán siempre desvelados a lo largo de la temporada, hay una clara tentativa de explicar las acciones temidas por la CIA.

Además se suman excelentes interpretaciones (Claire Danes recibió el Emmy y el Globo de Oro de Mejor Actriz en una serie de drama tanto en 2012, como en 2013; Damien Lewis fue nominado para ambos y recibió un Emmy en 2012 y un Globo de Oro en 2013) a una intriga bien escrita, tenemos serie que vale la pena ver.

Séries | Homeland

foto:freefever.com
Há séries que me fascinam pelo inesperado, por me transmitirem aquela sensação de "sei bem o que vai acontecer" e depois pegarem em mim e darem tantas voltas que fico sem saber o que esperar. Homeland é uma delas. 

Acabámos agora de ver a primeira temporada e foi extremamente interessante. Não é daquelas séries que vejo obsessivamente até chegar ao final (para isso tenho o True Blood ou o Game of Thrones), mas é algo mais próximo, mais real, inspirado na CIA e na forma como os serviços de inteligência recolhem e usam informação, na iminência de um ataque "terrorista". 

O grande salto de qualidade nesta, comparada com outras, do mesmo género, dá-se, para mim, quando passam de um mero meio de valorização nacionalista dos EUA e mostram o outro lado, do "terrorista". Sem querer revelar muito sobre a história, porque os pormenores serão sempre desvendados ao longo da temporada, há uma clara tentativa de explicar as acções dos que a CIA teme. 

Aliando ainda excelentes interpretações (A Claire Danes recebeu o Emmy e o Globo de Ouro de Melhor Actriz numa série de drama tanto em 2012, como em 2013; Damien Lewis foi nomeado para ambos e recebeu um Emmy em 2012 e um Globo de Ouro em 2013) a uma intriga bem escrita, temos série que vale a pela ver. 

domingo, 26 de janeiro de 2014

Verniz da semana #10

Em dias cinzentos, nada como experimentar uma combinação com um glitter por cima, especialmente quando conseguimos um desconto interessante num verniz que é dos mais vendidos. Foi assim que veio parar o primeiro Ciaté à minha colecção de produtos para as unhas, com aquele lacinho que lhe dá um toque super amoroso.


Depois de uma base, apliquei o Beige Legér da YSL, um beige, só para que o glitter não fosse aplicado directamente na unha, mais clara e menos homogénea. Já falei sobre ele noutro post, e continuo a adorar os vernizes da YSL que tenho, ficando sempre entre os melhores em termos de aplicação e durabilidade.

Por cima, usei o Ciaté, London Baby, que, apesar de ficar melhor com uma base mais escura (que eu não tinha em casa), deu um toque de brilho ao tom neutro de baixo, escurecendo-o. Com uma camisola preta fica giríssimo.


O London Baby é um verniz praticamente transparente, apenas com um suave véu acinzentado (mas quase imperceptível), carregadíssimo de purpurinas pretas e glitter prateado. Eu só apliquei uma camada, pelo que podem reparar que, com duas ou três, teremos um verniz quase preto, mais denso e rugoso.Depois de cinco dias, ambos permaneciam decentes, apenas com um pequeno desgaste nas pontas. Sem qualquer lasca inteira tirada, que deve ser o que mais detesto em alguns vernizes de pior qualidade.

Para primeiro teste da Ciaté, devo dizer que gostei bastante. O London Baby está à venda, por 11,20 € no BeautyBay, com portes gratuitos, ou numa perfumaria Sephora a cerca de 10 €. 

sábado, 25 de janeiro de 2014

Objecto de desejo* #13


Pulseira 2 Rangs Metal, Les Interchangeables, 34 €


*que, quem sabe, um dia, embelezará o meu pulsinho. 

Dicas que dão jeito # 4

Uma das questões que mais vezes me colocam é, sem dúvida, sobre como escolher uma boa base. Não sou profissional da área da cosmética, como já se devem ter apercebido, mas há alguns sites, algumas pessoas às quais reconheço credibilidade, às quais recorro sempre que tenho uma dúvida. A verdade é que, infelizmente, muitas vezes, chegamos a casa com recomendações de empregadas de perfumarias menos interessadas  que não se adequa minimamente à nossa pele. Conhecer o que e como procurar ajuda a evitar muitas chatices. 

Mais uma vez, a minha Lisinha querida é a pessoa ideal para nos elucidar sobre bases. Com a tal voz que me acalma sempre, aprendo imenso. Espero que vos dê jeito também. 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Bolo de aniversário

por Carol Vannier

Nos meus aniversários eu normalmente faço bolo e muita comida, geralmente não trabalho nem estudo, ocasionalmente vou à praia, quase sempre morro de calor, sempre quero ver amigos e familiares, ultimamente sinto saudades do meu pai, às vezes tenho siricoticos, às vezes tenho grandes surpresas e sempre termino emocionada com o carinho que recebo e com alguma lição pro ano seguinte que eu fatalmente vou esquecer até lá.

Esse ano quero agradecer a quem lê essa minha coluna e a quem me deu a oportunidade de escrever nela, porque compartilhar o que a gente faz na cozinha faz todo o prazer render mais! :)

E pra comemorar meu aniversário, não podia faltar a combinação imbatível: Nigella + chocolate! No melhor estilo "não devo nada pra ninguém", um bolo caprichado em tudo que é condenado pelos moralistas alimentares, e que apesar do nome, é de comer rezando! Ou talvez seja por causa do nome mesmo... ;)



DEVIL'S FOOD CAKE
da Nigella Lawson

Ingredientes


Para o bolo:
50g de cacau em pó peneirado
100g de açúcar mascavo escuro
250ml de água fervendo
125g de manteiga amolecida (5 minutinhos fora da geladeira) + um pouco para untar a fôrma
150g de açúcar branco
225g de farinha
½ c. de chá de fermento
½ c. de chá de bicarbonato de sódio
2 c. de chá de essência de baunilha
2 ovos grandes 

Para a cobertura:
100ml de água (reduzi a receita original por causa do calor e umidade daqui)
30g de açúcar mascavo escuro
175g de manteiga sem sal (nunca tenho em casa) cortada em cubos
300g de chocolate amargo da melhor qualidade picado em pedacinhos

Preparo:
  • Pré-aqueça o forno a 180ºC. 
  • Forre o fundo de duas fôrmas redondas de 20cm com discos de papel manteiga. Unte as bordas com manteiga. 
  • Coloque numa vasilha o cacau em pó peneirado e o açúcar mascavo e despeje a água fervendo por cima. Misture bem e reserve. 
  • Bata o açúcar branco e a manteiga na batedeira, até a mistura ficar fofa e clara. É mais fácil soltar a cabeça da batedeira do suporte, e ir atrás dos nacos de manteiga mais diretamente. Também dá pra bater na mão.
  • Misture numa vasilha a farinha, o fermento e o bicarbonato e reserve.
  • Voltando à batedeira, vá batendo e adicionando a baunilha, depois um dos ovos, depois uma boa colherada da mistura de farinha, e depois o segundo ovo. Continue batendo e termine de adicionar a mistura de farinha aos poucos. 
  • Com a batedeira desligada (para evitar grandes respingos) adicione finalmente a mistura de cacau, raspando bem a vasilha. Misture com a espátula primeiro, até que o líquido tenha sido quase todo absorvido (a massa fica um bocado líquida) e depois, se quiser misturar melhor, bata um pouco mais na batedeira.
  • Divida a massa nas duas fôrmas e asse por aprox. 30 minutos, ou até um palito inserido sair limpo.
  • Depois de tirar do forno, deixe as formas por 5 a 10 minutos descansando numa grade (pode ser a do fogão) e depois pode desenformar num prato e esperar esfriar totalmente.
  • Assim que colocar as fôrmas no forno, comece a preparar a cobertura: coloque a água, o açúcar mascavo e a manteiga numa panela em fogo baixo.
  • Quando a mistura começar a borbulhar, apague o fogo e adicione o chocolate picado. Balance um pouco a panela para que todo o chocolate entre em contato com o calor, espere um minuto e então mexa bem com um fouet até que a cobertura fique lisa e brilhosa.
  • Deixe a cobertura esfriando, mexendo mais um pouco sempre que passar por ela. No calor é difícil que ela firme o suficiente em temperatura ambiente, então quando não estiver mais quente, pode colocar na geladeira.
  • Montagem: coloque um dos bolos no prato que você escolher para servir, com a parte de cima virada para baixo, e espalhe aprox. 1/3 da cobertura. Depois cubra com o outro bolo, com o lado que você achar melhor para cima, e espalhe o resto da cobertura, despejando em cima e espalhando o que escorrer pelos lados com uma espátula, dando o acabamento que achar melhor, ou que mais se adequar às suas habilidades. No meu caso é sempre uma bagunça que tenta parecer proposital ;)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Sorteio | Quem ganhou?

E a vencedora do Sorteio de um Rouge Dior Nude no tom 459 Charnelle é...

a Rafflecopter giveaway

Parabéns, Felicidad Rodriguez Almagro! 

Pedíamos que nos enviasse a sua morada até às 10:00 (GMT +01:00) do dia 25 de Janeiro, por mensagem privada, no Facebook da Salinha. O Rouge Dior Nude será enviado no dia útil seguinte ao envio da morada. Caso não nos contacte, procederemos ao sorteio de um/a novo/a vencedor/a.

Aguardamos o seu contacto. :) 

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Esmalte de la Semana #9

La semana pasada usé en las uñas unos de aquellos productos que me agradan por el nombre. Vesper, de la colección Bond Girls de OPI, es un Liquid Sand morado/púrpura con gránulos negros, claramente inspirado por el bellísimo vestido que Eva Green vistió en Casino Royale.


foto:dailymail.co.uk
Como otros del género, tiene una textura granulosa, que va alisando con el desgaste. Con toap coat gana una consistencia glossy y homogénea, que dura más de lo que sin cualquier protección. No sale a tiras, pero se desgasta en las puntas rápidamente, por lo que no será un esmalte para, él solo, garantir una semana sin pintar las uñas.



En la foto aplique dos capas, esenciales para un tono más decente, ya que, en la primera, aún se notan las pinceladas irregulares. Con una tercera aplicación queda aún más oscuro e intenso. A pesar de secar razonablemente rápido, necesita de algún tiempo para un aspecto perfecto. No puede, por lo tanto, ser un esmalte para aquellas uñas rápidas que-hay-que-salir-en-dos-minutos-de-casa.

Conseguí encontrar el esmalte con 50% de descuento en una perfumería, pero, quien quiera, puede encontrarlo en sites con venta internacional como la Lookfantastic a 10,79 €. En esta época de rebajas, encontrar algunos OPI a precios bien más baratos por algunas perfumerías. ¿Tienen alguno?

trad. - Mayte Rodríguez Moro

Verniz da Semana #9

A semana passada usei nas unhas um daqueles produtos que me despertam pelo nome. Vesper, da colecção Bond Girls da OPI, é um Liquid Sand roxo/ púrpura com grânulos pretos, claramente inspirado pelo belíssimo vestido que Eva Green vestiu no Casino Royale.  
foto:dailymail.co.uk
Como outros do género, tem uma textura granulosa, que vai alisando com o desgaste. Com top coat ganha uma consistência glossy e homogénea, que dura mais do que sem qualquer protecção. Não sai às lascas, mas desgasta-se nas pontas rapidamente, portanto não será verniz para, sozinho, vos garantir uma semana sem pintar as unhas. 


Na foto apliquei duas camadas, essenciais para um tom mais decente, já que, na primeira, ainda se notam as pinceladas irregulares. Com uma terceira aplicação fica ainda mais escuro e intenso. Apesar de secar razoavelmente rápido, precisa de algum tempo para um aspecto perfeito. Não pode, portanto, ser um verniz para aquelas unhas rápidas que-há-que-sair-em-dois-minutos-de-casa. 

Consegui encontrar o verniz com 50% de desconto numa perfumaria, mas, quem quiser, pode encontrá-lo em sites com venda internacional como a Lookfantastic a 10,79 €. Nesta época de saldos, encontram alguns OPI a preços bem mais convidativos por algumas perfumarias. Têm algum?

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Proyectos | Only4pets

Hay cosas bonitas que deben ser compartidas. Cuando ellas se asocian a proyectos interesantes, entonces, se tienen que divulgar de boca en boca, y más un poco, pqra que todos podamos contribuir. Only4Pets es uno de estos casos.

Con cerca de una año de existencia, el proyecto de esta tiendecita solidaria, idealizada por dos personas, de Gondomar, que a él dedican su tiempo libre, pretende acoger y ayudar a animales domésticos perdidos por las calles, hasta que estos encuentren una casa para vivir y una familia para se encariñar. Para tal, tienen un espacio en Facebook donde comparten varias piezas de bisutería, que hacen a medida, para el pulso de casa uno de nosotros, que son fantásticas y a buenos precios. El dinero que ganan con la venta de accesorios va todo para la causa.


Yo ya tengo dos pulseras, y no va a quedarse por aquí. Ya les mostré a varias personas que se interesaron también por la creatividad de los materiales y por la causa en sí. Después de haber conocido la web a través del Blog Coisas e Cenas, eché un vistazo por la Only4pets y escogí lo que quería. ya estaba procurando accesorios de este género desde hacía un tiempo, por lo que fue la oportunidad ideal para tener algo solo mio, a medida de mi pulso pequeño y difícil de agradar.

Visiten la página y envíen un mensaje. Ayudan al proyecto y tienen un accesorio coqueto, original y único. Hecho para vosotros. ¿Algo mejor? :)

trad. - Mayte Rodríguez Moro

Compras Citypharma #2 - Los (otros) esenciales


Ya os hablé de Citypharma tantas veces que ya deben estar cansados de leerlo, habiendo vuelto allí para completar los esenciales (pero no tanto como los otros) para la carita y cabello, decidí que no podría dejar de mostraros lo que traje. Sólo me falta un tónico (estoy con uno pequeño y está acabando) y una máscara de limpieza. Sugestiones son bien recibidas. :)

Vamos a la lista de lo que ha venido a parar a mi pequeño armario de cremas y similares:

1. La Roche Posay Serozinc, porque nunca se sabe cuándo va a dar un ataque de locura en mi piel y reventar, especialmente en la zona de la barbilla;

2. Phytobaume Repareteur, un acondicionador que nunca usé pero espero que ayude (¡y mucho!) a mi cabello que se queda seco y frágil con el agua de Francia;

3. Uriage Isofill, que he usado como crema de noche, más hidratante y con propiedades antiedad. Compré la textura más leve, dado que la otra tiene karité y, conociéndome, sería demasiado para mi piel, y así que tenga más una semanas usado este producto, os digo mi opinión;

4. Bioderma máscara Hydrabio, para aquel momento especial de hidratación que la piel precisa todas las semanas, especialmente en un clima frío, con un viento que seca hasta la piel con más tendencia a grasa;

5. Avene Anti-rougeurs leche de limpieza, porque, a pesar de no tener, en este momento, la piel descontrolada, tengo tendencia a tener rojeces durante el día, especialmente cuando estoy expuesta a cambios rápidos de temperatura, como acontece aquí entre el interior y el exterior;

6. Avene Anti-rougeurs Jour, una crema de día que ayuda a la piel sensible a controlar las rojeces y la sensación de calor en el resto, a lo largo del día. Contiene pigmentos verdes para uniformizar el tono de piel (pero no tiene color de base, atención, no camufla, apenas atenúa zonas rojas)

7. Aqualarm, solución para ojos secos con lentes de contacto;

8. Homeoplasmine, que viene siendo mi apoyo para evitar que los labios se agrieten e irriten, como me suele pasar todos los inviernos muy fríos o cuando tengo fiebre;

9. Bioderma Hydrabio Brume, un agua que calma la piel en los momentos más sensibles. Ya vive obligatoriamente dentro de mi bolsa;

10. Inca Rose máscara Extra Pure Hyaluronic, para hidratación, con propiedades rejuvenecedoras. Mi primera máscara de “tela” (no sé lo que es), estoy muy curiosa para saber como es;

11. Roger & Gallet pastilla de jabón para el cuerpo con aroma a Figuier. (Ya que es el favorito de Penélope Cruz, vamos a ver si es tan bueno :) );

12. Bioderma, H2O Agua Micelar, porque siempre me gustan estas versiones pequeñas, que son muy buenas para viajes.

Una persona tiene que ir temprano y, además de eso, tener suerte en el día en que decide pasar por Citypharma. En la mayor parte de los días, está tan lleno que no se puede ver ningún producto nuevo con atención. Pero, esta vez, conseguí traer para casa la mayor parte de los items que me faltaban para cuidar la piel, más una vez, a precios que hacen llorar a las piedras de la acera (expresión portuguesa). Cuando comparé lo poco que podría haber comprado en Portugal con el total de lo que estos costaron, me quedé super satisfecha por haber esperado.

Salí de allí con una bolsa llena y con la sensación de objetivo cumplido. Ya tengo mi batallón facial para enfrentar granos negativos. ¡Pueden venir! :)

trad. - Mayte Rodríguez Moro

Projectos | Only4pets

Há coisas bonitas que devem ser partilhadas. Quando elas se associam a projectos interessantes, então, são de divulgar de boca em boca, e mais um bocadinho, para que todos possamos contribuir. A Only4Pets é um caso desses. 

Com cerca de um ano de existência, o projecto desta lojinha solidária, idealizada por duas pessoas, de Gondomar, que a ele dedicam o seu tempo livre, pretende acolher e ajudar animais domésticos perdidos pelas ruas, até que estes encontrem uma casa para morar e uma família para acarinhar. Para tal, têm um espaço no Facebook onde partilham várias peças de bijuteria, que fazem por medida, para o pulsinho de cada uma de nós, que são fantásticas e a bons preços. O dinheiro que angariam com a venda de acessórios vai todo para a causa. 


Eu já tenho duas pulseiras, e não ficará por aqui. Já as mostrei a várias pessoas que se interessaram também pela criatividade dos materiais e pela causa em si. Depois de ter conhecido o site através do blog Coisas e Cenas, dei uma vista de olhos pela Only4pets e escolhi o que queria. Já andava à procura de acessórios deste género há algum tempo, pelo que foi a oportunidade ideal para ter algo só meu, à medida do meu pulsinho pequenino e esquisitinho de agradar. 

Espreitem a página e enviem-lhes uma mensagem. Ajudam o projecto e ficam com acessórios todos catitas, originais e únicos. Feitos para vocês. Querem melhor? :)

Compras Citypharma #2 - Os (outros) essenciais


Já vos falei da Citypharma tantas vezes que já devem estar cansados de me ler, mas, tendo lá voltado para completar os essenciais (mas não tanto quanto os outros) para a carinha e cabelo, decidi que não poderia deixar de vos mostrar o que trouxe. Só me fica a faltar um tónico (estou com um pequenino mas está a acabar) e uma máscara de limpeza. Sugestões são bem vindas. :)

Vamos lá à lista do que veio parar ao meu pequeno armário de cremes e afins:

1. La Roche Posay Serozinc, porque nunca se sabe quando é que vai dar um ataque de loucura à minha pele e rebentar, especialmente na zona do queixo;
2. Phytobaume Reparateur, um condicionador que nunca usei mas que espero que ajude (e muito!) o meu cabelo que fica seco e piegas com a água francesa;
3. Uriage Isofill, que tenho usado como creme de noite, mais hidratante e com propriedades anti-idade. Comprei a textura mais leve, dado que a outra tem karité e, pelo que me conheço, seria demasiado para a minha pele, e assim que tiver mais semanas de uso, digo-vos de minha justiça;
4. Bioderma máscara Hydrabio, para aquele momento especial de hidratação que a pele precisa todas as semanas, especialmente num clima frio, com um vento que seca até a pele com mais tendência a oleosidade;
5. Avene Anti-rougeurs leite de limpeza, porque, apesar de não ter, neste momento, a pele descontrolada, tenho tendência a vermelhidões durante o dia, especialmente quando sujeita a mudanças rápidas de temperatura, como acontece aqui entre o interior e o exterior;
6. Avene Anti-rougeurs Jour, um creme de dia que ajuda a pele sensível a controlar a vermelhidão e a sensação de calor no rosto, ao longo do dia. Contém ainda pigmentos verdes para uniformizar o tom de pele (mas não tem cor de base, atenção, não camufla, apenas atenua zonas vermelhas). 
7. Aqualarm, solução para olhos secos com lentes de contacto;
8. Homeoplasmine, que tem sido o meu apoio para evitar que os lábios se irritem e rasguem, como me costuma acontecer todos os Invernos muito frios ou quando tenho febre;
9. Bioderma Hydrabio Brume, uma água que acalma a pele nos momentos mais sensíveis. Já mora nos meus obrigatórios dentro da bolsa;
10. Inca Rose máscara Extra Pure Hyaluronic, para hidratação, com propriedades rejuvenescedoras. A minha primeira máscara em "tecido" (não sei o que é), fiquei muito curiosa para experimentar. 
11. Roger & Gallet sabonete para o corpo com o aroma a Figuier. (Já que é o favorito da Penelope Cruz, vamos ver se é assim tão bom :) );
12. Bioderma, H2O Água Micelar, porque gosto sempre destas versões pequenas, que dão muto jeito em viagens. 

Uma pessoa tem de ir cedo e, acima de tudo, ter sorte no dia em que decide passear pela Citypharma. Na maior parte dos dias, está tão cheia que não se pode ver nenhum produto novo com atenção. Mas, desta vez, consegui trazer para casa a maior parte dos items que me faltavam para cuidar da pele, mais uma vez, a preços de fazer chorar as pedras da calçada (para quem não vem, claro). Quando comparei o pouco que poderia ter comprado em Portugal com o total que estes custaram, fiquei super satisfeita por ter esperado.

Saí de lá com um saco cheio e com a sensação de objectivo cumprido. Já tenho o meu batalhão facial para enfrentar graus negativos. Venham eles! :) 

domingo, 19 de janeiro de 2014

Objeto de deseo* #12

Shimmer Bloc, Golden Mosaic, da Laura Mercier, 37 €


Cuando uno quería una cosa como el Shimmer Brick de Bobbi Brown, pero siempre hay algo que no le permite comprarlo, y luego descubre este polvo de Laurinha, comprende muy bien que eran los astros intentando mostrar que esto sería, de hecho, su pequeño amor. 

 *que un día será mío



trad. - Sílvia Cariano

Objecto de desejo* #12

Shimmer Bloc, Golden Mosaic, da Laura Mercier, 37 €

Quando uma pessoa queria algo tipo o Shimmer Brick da Bobbi Brown, mas algo a impede sempre de comprá-lo, e depois descobre este pó da Laurinha, percebe perfeitamente que eram os astros a tentar mostrar-lhe que este sim seria, efectivamente, o seu amorzinho. 

* que um dia há-de ser meu.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Trucos que ayudan #3

Después del truco de los ojos, el vídeo de Wayne Goss para ayudar a reconocer el tipo de rostro ha sido, para mí, uno de los más útiles como basis para todo lo que se refiere a los rasgos faciales, utilización de bronceador y crema iluminadora. En los puntos clave, el maquillaje puede dar, de hecho, la ilusión de cambiar la forma de nuestro rostro, camuflando lo que queremos esconder y poniendo de relieve lo que tenemos de mejor.

Por eso, os dejo tres videos interesantes: el primero, del maquillador británico y los otros de la estupenda Lisa Eldridge, sobre cómo modelar e iluminar la cara. Para mí, son de visionado obligatorio por tod@s los que pretendan aprender un poco más de maquillaje, sin errores y natural.





trad. - Sílvia Cariano

Dicas que dão jeito #3

Depois da dica dos olhos, o vídeo de Wayne Goss para ajudar a reconhecer o tipo de rosto foi, para mim, um dos mais úteis como base para tudo o que diz respeito à modelação facial, uso de bronzer e iluminador. Nos pontos chave, a maquilhagem pode dar, efectivamente, a ilusão de alterar o formato do nosso rosto, camuflando o que queremos esconder e pondo em destaque o que temos de melhor.

Deixo-vos, por isso, três vídeos interessantes, o primeiro do maquilhador britânico e os seguintes da fantástica Lisa Eldridge, sobre modelar e iluminar a face. Para mim, são de visualização obrigatória por todos os que querem aprender um pouco mais sobre maquilhagem, sem erros e natural.  





Os vídeos da Lisa Eldridge têm, em vocês, o efeito relaxante que têm em mim? A voz dela acalma-me imenso.  :)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Tsatsiki e Iogurte Caseiro

por Carol Vannier

Já deu pra reparar que nesse nosso blog ninguém é muito dado a ficar fixo num só canto do mundo né? E pra mim viajar é sinônimo de comer coisas novas e absorver hábitos diferentes. Mas às vezes a gente pode experimentar pequenas viagens em casa mesmo, ainda mais depois que outros viajantes nos deixam com água na boca mandando notícias de suas andanças! Foi assim que resolvi dar um pulinho imaginário na Grécia e fazer esse Tsatsiki.

O empurrão final foi encontrar uma receita (não que não se encontre milhares de outras na internet) no Wild Fermentation, um livro fascinante para quem tem curiosidade sobre os alimentos fermentados. Ainda não pude ler muito porque dei de presente pro meu mestre cervejeiro favorito, então tenho que esperar ele terminar, enquanto vou dando espiadinhas ocasionais.

A receita do livro pede simplesmente por iogurte, então eu fiz com meu iogurte caseiro que tinha ficado meio líquido, mas achei que ficaria melhor com um iogurte firme, tipo o grego ou talvez aqueles naturais que vêm em copinhos altos, sem o soro. Para quem quiser fazer iogurte em casa, no calor em que eu vivo, não precisa nem de iogurteira! Coloco abaixo o passo-a-passo com dicas para quem vive em lugares mais frios, e o truque da minha mãe para engrossar o iogurte.

Sobre os usos do Tsatsiki, sou tão iniciante quanto se pode ser. Pelo que vejo e leio por aí, come-se como uma pastinha sobre pão pita (um pão achatado e grosso que nunca vi no Brasil), ou como acompanhamento de carnes, como molho dentro de sanduíches... ou seja, de muitos jeitos. Acho que ele feito assim mais líquido como eu fiz pode virar até uma entradinha fresca, como uma sopa fria. Não torçam o nariz, a idéia é expandir os horizontes! ;)

Por enquanto comi exatamente como mostra minha foto, mergulhando cenourinhas e mini-kaftas no potinho, e adorei! A cenourinha, por não ser rugosa como a kafta, segurou pouco molho, e nesse caso se ele fosse mais espesso seria melhor. Mas para a kafta nem fez tanta diferença e ficou uma delícia!



IOGURTE CASEIRO
dicas de Sandor Ellix Katz e mamãe

Para cada litro de leite, usar 1 c. sopa (15ml) de iogurte para ser a cultura inicial.
É importante que o iogurte inicial seja fresco, então procure no mercado o que tenha a data de fabricação mais recente. Nós gostamos muito do que vende no Hortifruti, acho que é Verde Campo. 
Outra coisa importante é a qualidade do leite. Tem muito leite de caixinha por aí cheio de conservantes, que estragam o paladar de qualquer derivado que você tente fazer. A gente sempre usa aquele leite de saquinho que ainda se encontra pra vender em algumas padarias.

Preparo:
  • Se você mora num lugar frio, você pode usar um ambiente isolado termicamente (um isopor ou bagfreezer ou aquelas geladeirinhas portáteis), e pré-aquecer tanto o pote onde vai fazer o iogurte quanto esse isolante externo, enchendo os dois, se possível, com água quente antes de tudo.
  • Aqueça o leite até as primeiras bolhas se formarem (aprox. 82°C) e depois desligue o fogo. Você pode ir mexendo para evitar queimar o fundo. Aquecer o leite até esse ponto não é essencial, mas ajuda a engrossar o iogurte.
  • Deixe o leite esfriar até ficar morno, de jeito que você consiga deixar o dedo (limpo!) dentro dele por uns 10 segundos sem se queimar (aprox. 43°C). Você pode acelerar o resfriamento colocando a vasilha do leite dentro um banho de água fria. Só não deixe esfriar demais porque os lactobacilos gostam de temperaturas mais altas que a do corpo. 
  • Misture o leite com o iogurte "semente". Não exagere no iogurte achando que vai aumentar suas chances de sucesso. Como sempre em processos de fermentação, cada micro-organismo tem suas idiossincrasias, e no caso do iogurte uma população grande demais resulta em um iogurte mais aguado e azedo. Se eles estiverem se sentindo menos sufocados, vão render um iogurte mais cremoso e suave. 
  • Para fazer um iogurte ainda mais cremoso, adicione algumas colheradas de leite em pó a essa mistura (aprox. 3 colheres para cada litro).
  • Feche o pote e coloque-o dentro do isolante que você escolheu. Se ainda tiver muito espaço livre, você pode encher garrafas de água quente (não tão quente que possa te queimar) e colocar junto lá dentro, ou ainda usar toalhas molhadas. Feche tudo e deixe num canto quieto, porque o iogurte não gosta de ser sacudido.
  • Após 8h a 12h veja o resultado. Se ainda não estiver espesso, coloque mais um pouco de iogurte pronto, aqueça novamente a mistura colocando água quente no recipiente e espere de 4h a 8h. Você pode ir deixando mais se quiser, mas ele tende a ficar mais azedo, porque mais lactose é convertida em ácido lático (pode ser interessante para quem tem intolerância a lactose).
  • Guarde o iogurte pronto na geladeira, onde ele pode durar semanas, mas o sabor vai evoluindo... Lembre de guardar um pouquinho para a próxima leva ;)


TSATSIKI
do livro Wild Fermentation, de Sandor Ellix Katz

Ingredientes:
1 pepino grande
500ml de iogurte (de preferência um tipo mais firme como o grego, ou iogurte drenado)
4 dentes de alho picados bem fininho ou passados no espremedor (fica bem picante, quem tiver medo de alho cru, é melhor ir adicionando aos poucos, e talvez parar antes)
1 c. sopa (15ml) de suco de limão (aprox. meio limão)
2 c. sopa (30ml) de azeite
1/4 de xícara (60ml) de hortelã ou salsa, ou uma mistura dos dois, picadinhas
Sal e pimenta do reino branca a gosto

Preparo:

  • Rale o pepino no ralador ou processador, coloque numa peneira com um pouco de sal e deixe escorrer a água por 1 hora.
  • Misture todos os ingredientes. Prove para acertar o tempero, pois a maior parte do sal no pepino vai embora com a água.
  • Deixe na geladeira até a hora de servir.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

EVE LOM | El recién descubrimiento de los bálsamos de limpieza facial

Después de un mes de uso casi ininterrumpido (puedo haber faltado un o otro fin de semana) del bálsamo de limpieza de Eve Lom puedo finalmente decir: ¿Sabía lo que era irradiar antes de él? ¡No, no lo sabía! Vivía bien en la ignorancia, atención, con mi gel de limpieza Effaclar que será, probablemente, el compañero de verano, pero, ahora que descubrí el mundo de los bálsamos de limpieza, creo que no voy a querer otra cosa. Especialmente en un clima frío y seco, cuando la piel está más sensible y propensa a todo lo que son rarezas. 
foto: lookfantastic.com
Pero comencemos por el inicio, que el tiempo es poco y la historia tiene tendencia siempre a alargarse. Al hacer mis compras de Navidad en Space.nk, el día 20 de Noviembre, tuve derecho a un saquito lleno de cositas, entre las cuales estaba un botecito pequeño de este bálsamo, perfecto para viajes. Como sabía que en Diciembre y Enero se preveían movimientos constantes entre ciudades, lo guardé. y se tornó un esencial en mi bolsita de productos de cuidados faciales que me acompañan desde hace un mes. 

Confieso que mi primera reacción a un producto que parece un bálsamo granuloso, se transforma en un aceite que masajeamos en la piel seca, con un ritual lento que no siempre se adapta a las mañanas en las que tengo prisa, no fue de las mejores. El olor a pesto (eso, la salsa, porque es lo que me recuerda, aunque no sea una característica consensuada) no ayudó mucho, a pesar de no ser intolerable como con otros, de rosa o miel. Pero estaba, de todos modos, decidida a darle un debido destaque y un periodo de experiencia adecuado. Si fuese para dejarlo de lado, sería con total consciencia de lo que estaría descartando. 

Antes de continuar, déjenme que les recuerde, que mi piel es mixta y, creanme, tiene (¡o tenía!) alturas de deshidratación que me hacen responder con más, y más, producción de sebum (una palabra horrorosa, pero cumplen a quien la inventó), volviéndola mucho más grasa. ¿Qué hacía? Utilizaba todo lo que eran productos para matificar y retirar esa grasa, sin saber que lo que la piel precisaba eran productos hidratantes, para no sentirse tan atacada. Resultado: burbujas constantes, especialmente en la zona de la barbilla y piel brillante a lo largo de todo el día. 

Hace unos meses que la trato con dignidad por lo que, cuando este bálsamo vino a parar en mis manos, fue con algún recelo pero aún más curiosa y decidí separarme por un tiempo del gel de limpieza y entrar en el mundo de estos productos con aceites naturales. ¡Y bien que hice! 

Pasemos entonces al cleanser de Eve Lom que es para eso que abrimos este post y aquí estoy contando mis aventuras por este mundo. Después de una semana de uso, el aspecto de mi piel mudó completamente. Habiendo continuado con el mismo ritual en términos de uso de los restantes productos y será, por eso, de confianza afirmar que este fue el responsable por la visible mejoría. Más suave al tacto, más homogénea y calma, ahora brilla de otra forma, que nunca había visto antes. No es grasa, es resplandeciente. Hubo días en los que ni salía con base, corrector, polvos o cualquier otro producto para camuflar imperfecciones, puesto que la piel tenía un aire saludable y luminosa, con el grano mucho más afinado y un aspecto regenerado. Como si hubiese pasado una semana en un spa de tratamientos, con noches bien dormidas y días relajados. 

Parece mentira, ¿verdad? Pero creanme que, a la vuelta, elogiarán mi piel y preguntarán lo que estaba haciendo. Esto en días sin base. Los pequeños granos exfolian, sin ser demasiados agresivos, mientras que los aceites tratan y acarician la piel. Maravilloso. Quien diría que sólo una piel seca adoraría este producto, puede desengañarse. La mía no lo es y reacciona muy bien. 

Pero, no todo son rosas con el bálsamo de Eve Lom. Para trabajar la piel como debe ser, tiene un ritual lento, como dije antes, precisando de masajear con cuidado y después retirarlo con un paño que viene con él, en primer lugar dentro de agua caliente. para abrir los poros y hacer una limpieza profunda, y después con agua fría. Por la mañana, puede ser un producto muy poco práctico. Por la noche, con todo, sabe muy bien. 

También contiene parabenos, cuyos efectos negativos aún no son testados, aunque muchos estén totalmente en contra. Ante la duda, siempre opto por producto sin parabenos, aunque no sea rígida en este punto. Para las conocedoras en la materia (que aquí sólo soy amateur, preparada para compartir los efectos de los productos en la piel, pero que deja a las especialistas los comentarios científicos), coloco aquí los ingredientes, para compartir con vosotras, de vuestra justicia, si quieren, o lo que piensan de ellos (si son malos, diganmelo por favor, que paro de usarlo :) ):

 PARAFFINUM LIQUIDUM (MINERAL OIL), PEG-30 LANOLIN, CETEARYL ALCOHOL, BIS-DIGLYCERYL POLYACYLADIPATE-2, ALUMINUM STEARATE, THEOBROMA CACAO (COCOA) SEED BUTTER, PEG-75 LANOLIN, CHAMOMILLA RECUTITA (MATRICARIA) FLOWER OIL, EUGENIA CARYOPHYLLUS (CLOVE) LEAF OIL, EUCALYPTUS GLOBULUS LEAF OIL, HUMULUS LUPULUS (HOPS) CONE OIL, PHENOXYETHANOL, METHYLPARABEN, BHT, BUTYLPARABEN, ETHYLPARABEN, PROPYLPARABEN, ISOBUTYLPARABEN 

Pasado un mes, el bote pequeño, de 30ml, aún está medio, usandolo por la mañana y por la noche, por lo que creo que los mayores, de 200 ml, servirán perfectamente para un año entero. Compensará, de cierta forma, el valor elevado de este bálsamo de limpieza de Eve Lom, que pueden encontrar en la feelunique (envío gratis), en Space.nk (envío gratuito a partir de 100 libras), en CultBeauty (envío gratis a partir de 50 libras) por ejemplo.

Estoy realmente satisfecha con este producto y ya tengo tengo en mi lista de test futuros otros, quizá aún mejores. Que en estas cosas, la busca de productos ideales es constante y dinámica, y no se agota en apenas una experiencia.

trad. - Mayte Rodriguez Moro
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...