UA-40840920-1

sábado, 29 de junho de 2013

Perfumes & Companhia - Descontos a partir de 40%

Quem estiver em Portugal e quiser mimar-se um bocadinho, pode aproveitar as promoções da Perfumes & Companhia que começaram este fim de semana. Várias colecções a vários preços, desde batons da Dior a cerca de 15 euros, a palettes de quatro sombras da Chanel a 26 euros. São mais de 2000 artigos que estarão com desconto de 40 % ou superior a partir de este sábado, além dos 20% em todos os restantes, inclusivamente nas edições de Verão. 

Bons miminhos! :) 

Look Pushing Daisies #5 - A maquilhagem intensa de Vivian

Já chegámos ao final de Junho... Passou tão rápido que nem me apercebi que este seria o último look de Pushing Daisies. Mas acho que até foi uma escolha interessante.

Desta vez, decidi sair das personagens femininas principais e fazer algo inspirado numa das peculiares tias da Chuck, a Vivian. Sempre com uns olhos muito carregados, embora pouco trabalhados, para combinar com uns lábios sempre fortes, normalmente escarlate, Vivian é a tia mais romântica, idealista e sonhadora. Com um quê de naïve até, por ter sido sempre protegida pela Lily, a irmã, com quem faz as Darling Mermaids Darlings, duo artístico de natação sincronizada.  

A Vivian é muito mais pálida do que eu, o que dificultou especialmente o efeito do blush, mas eis a minha adaptação. Escolhi este look também para usar a minha palette Naked, da Urban Decay (da qual vos falarei num próximo post), que eu adoro. Espero que gostem.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Viva São João e viva a queijadinha - com ou sem queijo!

Viva São João!
por Carol Vannier

Eu adoro tudo relacionado a festa junina: fazer desenhos de festas de São João na aula de artes do colégio, dançar quadrilha, ver fogueira acesa e bandeirinhas coloridas, as barracas de brincadeiras, usar roupa xadrez, e claro, fazer e comer as comidinhas típicas =)
Dentre as minhas favoritas estão a canjica, o bolo de milho ou fubá, o caldo verde, a maçã do amor e a queijadinha.

Eu nunca entendia porque a queijadinha se chamava queijadinha se eu nunca sentia gosto de queijo... E finalmente fui olhar receitas e tentar reproduzir essa belezinha em casa, e vi que muita gente faz sem queijo mesmo! Vá entender. Algumas receitas até pedem por 1 colher de sopa de queijo parmesão ralado, num mar de coco e leite condensado. Acho que é só pra constar. De qualquer jeito não me apetecia em nada colocar um queijo fedorento num docinho tão singelo, achava que não combinava mesmo.

Mas como esse blog tem também um pé em Portugal, e lembrando da minha visita à Pousadinha de Tentúgal, fui pesquisar a queijadinha portuguesa. Não comi a queijadinha de Tentúgal (meu estômago é finito, por incrível que pareça não havia mais espaço!) mas tinha comido a de Sintra, que é até mais famosa, e no aspecto as duas eram bastante parecidas. E ao contrário da sua prima brasileira, a queijadinha portuguesa leva sim uma boa quantidade de queijo, e nada de coco. Mas não é queijo fedorento, e sim queijo fresco, que se assemelha ao nosso queijo minas frescal, só que sem sal. Aí sim! ;)

Então como colunista dedicada que sou, tive que fazer as duas pra comparar! E assim, quem tiver que levar um docinho a alguma festa junina colaborativa, pode escolher alguma das duas. Mas aviso logo: a brasileira é mais fácil de fazer, e é bem gostosinha, mas a portuguesa, com sua casquinha fininha e seu toque de canela, é de comer rezando!


Teste nº 1 realizado!
QUEIJADINHA BRASILEIRA
da minha cabeça e de vários sites na internet
rendimento: 10 mini queijadinhas


Ingredientes:

80g de coco ralado não adoçado, de preferência em fitas e fresco (a forma do coco influencia muito na textura da queijadinha)
130g de leite condensado (1/3 de lata)
1 gema
1 c. chá de manteiga derretida


Preparo:
  • Pré-aqueça o forno a 180ºC. 
  • Misture todos os ingredientes numa vasilha. Distribua em forminhas de mini empada forradas com forminhas de papel se quiser desenformar mais fácil e servir mais bonito. As forminhas podem ser de silicone.
  • Leve ao forno e comece a vigiar a partir de 20 minutos. Asse até ficar douradinha.


Teste nº 2 realizado!

QUEIJADINHA DE SINTRA

Adaptado do Petit Chef
rendimento: 12 queijadinhas médias

Ingredientes:

Massa 
125 g farinha de trigo
2 c. chá óleo
uma pitada de sal
quanto baste de água

Recheio
200 g queijo minas frescal
2 gemas
150 g açúcar
1 c. café canela em pó
1 c. sopa farinha de trigo (eu omiti e deu certo)

Preparo:
  • Coloque a farinha numa vasilha, junte o sal e o óleo e vá adicionando a água aos poucos. A quantidade é a que for necessária para que a massa fique macia, mas que todas as partes fiquem bem agregadas, sem grudar nem na mão nem na vasilha (usei +- meio copo). Quando pronta deixe repousar por cerca de 10 minutos, embrulhada num pano ou papel toalha ligeiramente úmido. 
  • Corte o queijo em fatias e bata no processador, até ter farelos. Junte o resto dos ingredientes e bata tudo muito bem.
  • Ponha o forno pra aquecer. Numa superfície enfarinhada, abra a massa muito fininha, em porções adequadas às suas forminhas (tipo de empada, mas de preferência mais baixinhas), que não precisam ser untadas. Coloque a massa nas forminhas, fazendo dobras se necessário para que ela se ajuste ao redondo. Depois coloque o recheio e leve ao forno bem quente. Comece a vigiar quando der 20 minutos, e retire quando estiverem bem douradas. Quando estiverem frias, pode desenformar virando de cabeça pra baixo numa bancada. 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Filme do fim de semana - Lisbela e o Prisioneiro, de Guel Arraes


Vi-o no fim de semana passado mas, como me esqueci de partilhar, fica a dica para o próximo sábado ou domingo.  Eu, que adoro o Auto da Compadecida, fiquei maravilhada com Lisbela e o Prisioneiro, filme brasileiro de 2003, dirigido por Guel Arraes (que também é director do primeiro). 

Confesso que há um lado de mim absolutamente fascinado pelo nordeste do Brasil; pela cultura, pelas gentes, pelas praias lindíssimas, pela água quente do mar, pela comida (delícia!), pelo sotaque e pelo fabuloso Hula Hula que bebi em Natal (mhamiii! Bebida feita na hora, com um abacaxi, sucos e várias frutas que eu nem me lembro quais, deixo-vos uma pequena foto), por tudo. Por isso, quem me aconselhou a vê-lo, já sabia à partida que eu ia gostar muito. E acertou.  

Se ainda não viram, é uma boa sugestão para um fim de semana descontraído. E, quem sabe, podem tentar fazer o vosso próprio Hula Hula para acompanhar. :) 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Verniz/ Esmalte Color Riche da L'Oréal - 305 Dating Coral


Ah Coral, Coral, como te adoro neste Verão... Pois é, depois de me ter apaixonado pelo Corail in Love da Lancôme, descobri outro verniz/esmalte que satisfaz o meu desejo por um tom bonito e estival. É o Dating Coral, 305, da L'Oréal.

O Verão de 2013 vai ser, sem dúvida, o ano do Coral. Quase todas as marcas têm a sua versão de verniz/esmalte, diferente, com um pigmento mais ou menos rosa, laranja, avermelhado, etc, pronta a agradar desde os que gostam de tons mais garridos e fortes, aos mais suaves e discretos. Este 305 da L'Oréal é uma versão mais alaranjada do que outros que tenho ou que encontrei no mercado. Mas não é laranja, é apenas um tom mais aproximado (ao contrário do da Lancôme que é um coral mais rosado).

A textura é cremosa e o tom fica homogéneo e opaco na segunda camada. Na primeira poder-se-ão ainda ver as pinceladas pelas unhas, com zonas mais claras do que outras, mas, com uma outra passagem, fica resolvido. Seca relativamente rápido, podendo ser aplicado o top coat passados poucos minutos, sem criar aquelas bolhinhas indesejadas de ar.

A aplicação é muito fácil; o pincel largo e mais achatadinho torna o uso mais simples e preciso. Eu sou terrível a pintar as unhas (e os dedos) e, com este verniz, não tenho pintado a mão inteira. O frasco é pequenino, contém apenas 5ml, o que pode dificultar o manuseamento a quem tem as mãos maiores, à semelhança do duo Samba da Dior.

Com a base, o top coat (uso ambos da Essie) e as duas camadas, o verniz aguenta, mesmo lavando a louça diariamente, uns quatro dias. Se não mexerem tanto na água, poderão confiar no verniz por mais tempo, provavelmente uns seis dias.

A L'Oréal é uma marca relativamente fácil de encontrar em supermercados, drogarias/farmácias, perfumarias ou outras lojas que revendam a marca. O Dating Coral está à venda na Feelunique, por 6,54€ (ca R$19) mas com algumas restrições de envio, por causa da marca. Dêem uma vista de olhos e vejam como é a entrega no vosso país. Para quem está em Portugal ou viajará até cá, a perfumaria Balvera tem a colecção de vernizes da L'Oréal a um excelente preço. Eu comprei o meu por três euros e tal (não me recordo dos cêntimos exactos), com o cartão de cliente (fiel, como eu sou). :) 

Avaliação:
Qualidade - 8,5/10
Pigmentação - 8/10
Textura - 9/10
Duração - 8/10
Aplicação - 10/10

NOTA FINAL: A-



Têm alguma cor de verniz/esmalte favorita para este Verão?



Feelunique.com - 10% de Desconto

A Feelunique dá, a todos os que se inscreverem no site por recomendação de alguém, 10% de desconto na primeira compra acima de 10 libras (ca 12€ e R$34). Por isso, todas as pessoas que queiram receber convite e aproveitar para fazer umas comprinhas de Verão (e este site tem de tudo, do mais caro ao mais barato), enviem-me por favor o vosso email para o da Salinha, que podem encontrar na barra superior, em "Contacto". Eu enviar-vos-ei de seguida, em nome da Salinha, o convite para a Feelunique. 

Boas compras! :) 

terça-feira, 25 de junho de 2013

Loção autobronzeadora da Clarins para rosto, pescoço e decote

foto:douglas.fr

Pode parecer contra-senso usar um produto autobronzeador no Verão, mas, acreditem, é técnica de várias profissionais e artistas que, não querendo os malefícios da exposição ao sol, optam por um bronzeado artificial, com efeito natural. O melhor produto que eu usei até hoje para o meu bronze facial é, sem dúvida, a Loção Fluída Autobronzeadora da Clarins.

Segundo a Clarins, "tão fresco como a água, tão suave como um leite, este autobronzeador sobrevitaminado desenvolve sem esforço um bronzeado natural na face e no peito, mantendo uma pele macia e radiante de saúde." Este produto não é, de forma alguma, um autobronzeador com pigmento de cor, que deixe a nossa pele laranja, com aquele tom típico de bronze artificial.  Tem a textura de um leite hidratante suave, branco, com a doçura típica dos produtos da Clarins. Eu sou fã.

Como, no Verão, tenho tendência para usar um factor de protecção 50 apenas na cara (e mais baixo no resto do corpo), ela fica com um tom diferente. Este produto ajuda-me não apenas a dar uma corzinha à tez, uniformizando-a, mas também me deixa com uma pele macia, com um cheirinho doce, à base de Jasmin e Violeta, e dourada. Não é um efeito óbvio com apenas uma aplicação, mas, se se usar dia sim, dia não, ver-se-ão as diferenças. Quer faça chuva, quer faça sol, conseguimos um tom de mel, saudável e que irradia beleza.

Aplicá-lo é extremamente simples. Com um disco de algodão, ou mesmo com as mãos, passamo-lo pela pele, pelo peito, pescoço e cara, dando especial atenção à zona das sobrancelhas e linha do cabelo. É importante que o produto seja espalhado uniformemente, para não ficarmos com zonas mais escuras que outras. No final, convém igualmente não esquecermos de lavar as mãos, para não ficarem com manchas. Apesar de não parecer um autobronzeador comum, com uma textura com cor, este produto vai estimular o bronzeado, pelo que é importante termos cuidado na aplicação.

A sua textura fluída, de leite, é rapidamente absorvida, sem deixar a pele oleosa ou com o desconforto de alguns bronzeadores. Podemos aplicar este produto e, de seguida, vestirmo-nos e maquilharmo-nos, sem problemas e sem manchas na roupa, o que é fundamental. Se o usarmos à noite, para deixarmos actuar enquanto dormirmos e acordarmos com um ar de quem passou o dia anterior na praia, não há risco de manchas, nem na cara, nem na almofada. É o que faço normalmente.

Podem encontrar este produto em qualquer perfumaria que venda Clarins, como a Sephora, a Perfumes & Companhia, Douglas e a Balvera (melhor preço em loja), e ainda na Escentual, loja online, com envio internacional. Para Portugal, com envio, este produto fica a cerca de 21 Euros. Para o Brasil ainda não abriram a entrega, mas acredito que esteja para breve. Podem ver no site quais as opções de envio.

Costumam usar produtos autobronzeadores? Quais?

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Verão, podes vir! Estou preparada.


Ainda faltam na foto as minhas Havaianas e um chapéu de palha, largo, como eu gosto. :) 

Quais são os vossos "essenciais" de Verão?

sábado, 22 de junho de 2013

Look Pushing Daisies #4 - O lado Barbie de Olive Snook


Continuando os looks inspirados na série Pushing Daisies, decidi fazer, desta vez, um da Olive Snook que mais me marcou pela sua originalidade e por ser tão diferente daquilo que eu estou habituada a fazer. Adaptei-o aos produtos que eu já tenho e o resultado ficou um bocadinho diferente do que se pode ver na série (que também é gravada com uma luz bem escura, o que muda o tom real da maquilhagem). Em vez de me prender nos tons exactos que ela usa, optei por seguir a técnica, mas aproximando as cores à roupa dela, um rosa Barbie.

Esta maquilhagem foi criada no sétimo episódio da segunda temporada, quando Olive se faz passar pela esposa (suspeita) de um multimilionário assassinado. Espero que gostem. (No final dos passos deixo uma lista dos produtos usados e o link para alguns sítios onde os podem encontrar, em Portugal, no Brasil, ou com envio internacional) 

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Mango - Promoções até 50%

A MANGO entrou em promoção. Quem quiser, pode comprar online, aproveitando a maior variedade de produtos e tamanhos, em shop.mango.com. É seguro e entregam rápido, podendo optar entre entrega em casa (gratuito para compras acima de 30 €) ou em algumas das lojas aderentes no país (gratuito). Costumo comprar no site e confio plenamente. Ainda têm a possibilidade de trocar numa loja Mango se não gostarem ou não ficar bem. :)

foto: shop.mango.com

Yes, nós temos banana, mas não só...

por Carol Vannier

Essa semana está difícil se concentrar em qualquer coisa que não sejam os movimentos populares pelo Brasil a fora, e que (julgo) graças à internet cresceram meteoricamente e geraram muita informação a ser processada (criticamente!)

De todo jeito, já tinha planejado reciclar algumas receitas que fiz e postei num blog anterior, e que agora está aposentado, já que ganhei esse cantinho na Salinha ;) Mas gostaria de ter feito algum prato típico do São João, festa que adoro, mas fica pra semana que vem! Ainda estará em tempo...

Por hora, ficamos com um bolo de banana, essa fruta tão amada, grande produto de exportação, e infelizmente associada à pobreza. Mas acho que essa semana o Brasil está exportando bem mais que banana, e espero que tudo isso ajude a espantar o complexo de inferioridade muito frequente nos brasileiros. De quebra, quero espantar esse complexo das bananas também, que são afinal frutas sensacionais, e acessíveis a todos, ainda bem!

Esse bolo foi um pot-pourri de receitas que mexi daqui e dali pra fazer a minha, e usar ingredientes que tinha. Os bolos com banana amassada são o destino daquelas bananas no fim da linha, já tão maduras que a casca já está toda pretinha, mas que ainda são super cheirosas e doces, por isso nunca quero ver irem pro lixo!


Bolo de banana e especiarias

Ingredientes:
2 xícaras (240g) farinha de trigo, (metade pode ser substituída por aveia)
3 c. chá fermento em pó
1/2 xícara (90g) açúcar
1/2 xícara (90g) açúcar mascavo
1 pitada cravo em pó
1 c. chá gengibre em pó
1 c. chá canela em pó
1/3 xícara gengibre em calda picado*
1/3 xícara castanha do pará picada, (ou outra castanha)*
1/2 xícara tâmaras picadas*
90 g manteiga, derretida e fria
1/3 xícara (80ml) iogurte natural
2 ovos, a temperatura ambiente
3 bananas maduras grandes
1 c. chá extrato de baunilha

Preparo:

1. Pré aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma de bolo inglês ou, se preferir, aprox. 12 formas de muffin. Derreta a manteiga e tire os ovos da geladeira.

2. Misture os secos: farinha, açúcares, fermento, cravo, gengibre, canela, castanhas, tâmaras e gengibre.

3. Em outra tigela amasse as bananas e depois adicione os ovos batidos, a manteiga, baunilha e o iogurte e misture tudo

4. Junte os secos e molhados, mexendo pouco, só até encorporar levemente. Distribua na(s) forma(s) e asse por aprox. 20 minutos ou até que um palito inserido saia limpo.


*Não sei a equivalência em gramas, mas esses "enfeites" são em quantidades mais livres, ao gosto do freguês, e também podem ser trocados por outros que estejam disponíveis. Sabendo que 1 xícara equivale a algo entre 180ml e 240ml (sim, elas variam absurdamente, mesmo as dos kits de medida!) dá pra ter uma idéia também.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

A Pousadinha, em Tentúgal, para os amantes de doces conventuais


Quem viajar de carro até Coimbra e gostar de doce de ovos, tem obrigatoriamente de ir até Tentúgal. Na estrada que liga a cidade dos estudantes à Figueira da Foz (N111), à praia, sensivelmente a meio, é fácil descobrir a localidade onde foram criados alguns dos doces conventuais que eu mais gosto, os Pastéis de Tentúgal. Ao longo do caminho, encontramos, de um lado e outro, vários cafés com doçaria típica, que marcam a chegada ao nosso destino. Mas, para mim, há uma pastelaria que detém, hoje, o estatuto de a melhor da região, a Pousadinha.

A Pousadinha não é um dos estabelecimentos mais antigos de Tentúgal. Lembro-me perfeitamente de quando abriram e do percurso que fizeram até terem o tamanho e qualidade que têm hoje (evolução que observei anualmente com bastante agrado). Mas é, actualmente, um local de paragem sempre que fazemos esse caminho. É impensável passar ao lado e não parar (quase como o que eu sinto relativamente à Casa do Alemão, no Rio) para comer um doce ou até mesmo um salgado. Dos pastéis e queijadas de Tentúgal, às Barrigas de Freira, às tortas de vários sabores, ao pão de ló com ovos maravilhoso, e passando pelas empadas variadas (de Cozido à Portuguesa, pato, frango, alheira, camarão, legumes,...) e pelos pães caseiros, é impossível não sair de lá com o estômago feliz e um saquinho para trazer para casa.

Fica a dica e mais algumas fotos para vos aguçar o apetite. :) 



Alguns dos meus doces típicos favoritos, que dou a provar a quem visitar comigo a Pousadinha:


Gostaram? Quão fãs são de doces conventuais?

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Espuma de Banho da LUSH, para uma pausa cinematográfica


Apesar de não gostar muito de falar de produtos que não sejam facilmente acessíveis à maioria do mundo lusófono, tenho de partilhar a minha adoração pelos banhos de espuma da LUSHConheci a marca numa ida a Londres (cidade que eu adoro e onde, se pudesse, ia com frequência) e, desde então, é paragem obrigatória sempre que, por uma ou outra razão, viajo até ao Reino Unido (algo que não faço há anos). As cores, os cheiros, os produtos são inebriantes e aprendi a encontrar uma loja nas proximidades pelo aroma típico que exalam. Uma mistura de sabonetes, artigos para o banho, para o corpo, cabelo, cremes de rosto e muito mais, que prometem resultados com ingredientes naturais, que me mexem com os sentidos.
foto:justmeans.com
Dos produtos que já experimentei, sou fã incondicional dos discos para banhos de espuma e das balísticas. Neste post falarei dos primeiros que, depois de anos e anos de busca por algo semelhante, foram os únicos que satisfizeram a minha curiosidade por um banho de novela, com uma camada de bolhinhas envolventes. Estão a visualizar os banhos cinematográficos onde os actores estão escondidos numa camada branca fofinha que tapa o corpo, deixando apenas de fora a cabeça e as mãos, que seguram um copo de vinho? Desses. (Bem, tivesse eu uma banheira dessas e seria igual)

Para criarmos esse efeito borbulhento numa banheira de tamanho normal, basta metade do disco, esfarelado, antes de vertermos a água. Depois, em vez de a deixarmos correr apenas da torneira, o truque de um banho com muita espuma é usar a cabeça do chuveiro, com bastante pressão, e ir enchendo a banheira, passando a água por cima dos pedaços do produto freneticamente, ao mesmo tempo que a remexemos. Quanto maior for a pressão da água e mais dinâmicos forem os nossos movimentos, melhores os resultados. A banheira não precisa de estar cheia. Aliás, a espuma é tanta, que o melhor é irem enchendo já estando lá dentro, para que, ao entrarem, não fiquem com a casa de banho toda coberta por um manto branco de bolhinhas. (Aqui estou eu no banho de ontem)

Os discos de banhos de espuma têm várias cores e aromas, embora nem um nem outro sejam particularmente relevantes quando se toma o banho. Embora haja efectivamente uma coloração da água, deixando um suave cheiro na pele, consoante o que escolhermos, não são essas as suas funções principais e, debaixo de tanta espuma, até é difícil distingui-las. Se quiserem um banho de óleos perfumados terão sempre as balísticas, fantásticas (sobre essas escreverei num outro post, com mais detalhes).

Agora a grande desvantagem: não há loja Lush internacional e, as que existem, não estão acessíveis a todos. Apesar de já haver duas lojas físicas em Portugal, ambas na Grande Lisboa, comprar online para quem mora no resto do país fica caro. Por um disco e uma balística, são 6,90 € só para o transporte, quase o custo dos dois produtos. No Brasil, julgo que ainda não conseguimos encontrar a marca sequer. Portanto, o que aconselho é que, quem passar por Lisboa, aproveite para dar uma vista de olhos na Lush dos shoppings das Amoreiras ou de Oeiras, onde os produtos são mais baratos do que em Paris ou Londres (onde encontram várias lojas da marca).  Nos Estados Unidos, também há lojas Lush. Caso conheçam alguém que more ou viaje para algum destes países, podem espreitar o site português e fazer a vossa listinha. 


Têm algum produto que usem para banhos de cinema? Estou sempre aberta a experimentar outras marcas e sugestões, que me agradem tanto ou mais. : )

Ah, e não se esqueçam se seguir a Salinha nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Bloglovin e no Twitter, para estarem sempre actualizados. Estejam à vontade para entrarem e partilharem na Salinha as vossas opiniões. Estamos à vossa espera. :)   

terça-feira, 18 de junho de 2013

True Blood - Temporada 6


Termina Game of Thrones (e eu a devorar o livro para ver o que acontece, porque a minha curiosidade não me deixa) e (re)começa True Blood. Obrigada, HBO! Foi um aninho inteiro à espera, vamos ver se mantém a minha atenção e dedicação. :)   

Sombra Rainbow Tricolor Turquesa, 104R, da INGLOT

A INGLOT é uma marca de maquilhagem, com 25 anos, que promete qualidade a preços acessíveis, garantindo o uso "dos melhores ingredientes e matérias primas". A empresa "trabalha com maquilhadores profissionais e consultores de moda para trazer para o mercado as últimas tendências de cor, textura e forma." A Inglot dispõe ainda de um um sistema livre, de montagem personalizada de palettes, dado que todas as sombras, blushes e batons são vendidos em potinhos,  como se fossem recargas, que compõem os conjuntos que quisermos, com mais ou menos produtos. Muito prático.

A primeira vez que visitei a loja, gostei do conceito. É um espaço simples, colorido, onde podemos ver facilmente todas as cores (que são imensas!) e testá-las sem problemas. Para os lábios, até têm pequenos aplicadores descartáveis para garantir uma aplicação com higiene. Interessante. Contudo, como, mesmo sendo preços acessíveis, cada produto para a palette custa por volta de 6 ou 7 euros, optei por trazer apenas duas sombras e uma palette. Para já, falar-vos-ei da sombra tricolor turquesa, a 104 R, que achei que seria uma boa aquisição para o Verão.   

foto: allure.com
Em primeiro lugar, achei extremamente interessante esta nova opção de três tons numa só sombra, permitindo que não gastemos imenso por um look que é, sem dúvida, de tendência. Por 7 € podemos criar um smokey engraçado, com um degradé de diferentes tonalidades, mattes mas com um ligeiro acabamento acetinado, como eu gosto. (Na foto, fiz algo com um pincel apenas, demorando um ou dois minutos, para criar algo que mostrasse as cores e a aplicação no Verão, estação em que quero algo rápido, para ir logo aproveitar o sol, e com um ar menos "certinho".)


As três cores são pigmentadas e são facilmente trabalhadas no olho. O tom mais escuro é absolutamente fantástico, de um turquesa vivo, vibrante, que tem uma consistência suave ao aplicar. Nenhuma delas tem aquela textura de pó, que deixa a pálpebra com um aspecto de giz. A mais clara parece-me aquela que desvanece mais rápido, mas as mais escuras aguentam-se no lugar, sem se mexer, durante algumas horas. Com um primer, conseguimos aumentar o tempo de vida delas na pálpebra para um dia inteiro.  

Apesar de estarem as três no mesmo potinho (se é que o podemos chamar assim), têm uma largura suficiente para podermos passar com um pincel, sem que a cor seja transferida para a do lado. Nunca gostei muito de sombras assim, sem divisão, de outras marcas, porque sempre tive esse problema; a determinada altura, o pigmento solto de um dos tons já se tinha depositado noutro. Neste caso isso não acontece. Mais um ponto a favor.

Uma grande desvantagem da INGLOT: não tem loja online internacional, não vendem no Brasil e, mesmo em Portugal, só têm loja em Lisboa. À semelhança da Sleek, julgo que a marca também poderia ter um sistema de venda para todo o mundo, porque os produtos são de facto interessantes e competem com outras marcas mais caras, como a MAC, a um preço muito melhor. Portanto, quem estiver interessada e conhecer alguém que viaje para os Estados Unidos, para Lisboa,ou outro país que tem loja INGLOT, nos próximos tempos, dê uma espreitadela no site. Têm toda uma variedade de cores, produtos e texturas à escolha, que podem conjugar como acharem melhor.  

Avaliação:
Qualidade - 9/10
Pigmentação - 9/10
Textura - 9/10
Duração - 8/10
Aplicação - 9/10

NOTA FINAL: A-



Têm alguma sombra turquesa favorita? Esta combina perfeitamente com o conjunto de vernizes/esmaltes Samba da Dior.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Filme do Fim de Semana - Hugo, de Martin Scorsese


Há filmes, sobre os quais eu não leio nada, que me deixam vidrada na história e com uma sensação de satisfação plena, como se despertassem em mim exactamente o que os filmes devem despertar, o meu lado mais mágico, que me transporta para lá do quotidiano. Este fim de semana vi Hugo, de Martin Scorsese, de 2011, que adorei. Não querendo falar sobre ele, para que tenham a mesma surpresa boa que eu tive, aconselho-o a toda a gente. Vejam. É fantástico. 

sábado, 15 de junho de 2013

Look Pushing Daisies #3 - O toque laranja de Chuck, para o Verão

Ainda inspirada em Pushing Daisies, decidi fazer, desta vez, uma maquilhagem laranja da Chuck. Aproveitei o facto de ser uma das cores da moda, este Verão, para seguir um look que pode ser seguido por todas e é bastante usável.

Depois de ver várias vezes o episódio (t02e04) para tentar descobrir como era a maquilhagem, adaptei-a para algo que pudesse recriar com os produtos que tenho. Acho extremamente importante não nos desanimarmos ao ver as colecções enormes (e de marcas caras) de maquilhagem de algumas gurus de beleza, na internet, e pensarmos que criam algo que não está acessível. Na maquilhagem, há que ser criativa. Há produtos mais baratos e com os quais podemos criar coisas giríssimas. Os tutoriais e passos despertam a nossa criatividade e confiança, o resto é connosco.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Fast Food

por Carol Vannier

Achei que hoje não ia sair texto, ia ter que puxar dos arquivos, até que me dei conta que, apesar da pressa e de mil coisas pra fazer, eu precisava almoçar. Resolvi  fazer uma comida bem rápida, e vi que pensando bem, seria legal compartilhar a "receita" e quem sabe ajudar outros enrolados por aí ;)

Eu digo "receita", porque, ao contrário de doces e pães, que costumam ser bem exatos, fazer um prato de massa pra almoçar não precisa, e na verdade, não deve, ser exato. (Demorei mas aprendi a desapegar de certos detalhes!) Isso porque, se a idéia é ser rápido, não é pra abrir computador, nem livro. É só pra abrir a geladeira mesmo.

E a minha receita coringa é um carbonara com abobrinhas, inspirado numa receita do Jaime Oliver, mas que já fui adaptando e fazendo tantas vezes que sinto que é minha!

Primeiro é preciso dizer que esse carbonara não inclui ovos mexidos, como eu antigamente achava que era uma regra, e me fazia odiar carbonaras... O medo da salmonela* levou a esse fim triste o que era um molho tão gostoso: ovo quase cru. Na receita do Jamie, ele coloca queijo e creme de leite também no molho, e do ovo coloca só as gemas, mas eu prefiro colocar o ovo inteiro, clara e gema, e cortar o queijo e o creme. Assim fica menos gordo e quando esfria não fica super grudento.

Então além do ovo, você só precisa ter macarrão, bacon, abobrinha, sal e pimenta, se quiser. E mesmo a abobrinha pode ser trocada por outro vegetal que você goste. A vantagem dela é que dura muito na geladeira, então quase sempre tem uma perdida lá em casa.

Então inspirada no 30 minute meals, o passo a passo pra fazer um Carbonara de Abobrinha rápido é o seguinte:


  • Encha uma panela de água e ponha pra ferver.
  • Pique o bacon em cubinhos e jogue numa frigideira grande, ainda fria.
  • Pique a abobrinha em cubos ou palitos (mais ou menos meia abobrinha por pessoa). Quando você terminar, o bacon já deve estar bem dourado, então acrescente as abobrinhas na frigideira.
  • Quando a água ferver, coloque o macarrão pra cozinhar (mais ou menos 80g dele seco por pessoa).
  • Quando as abobrinhas já estiverem cozidas ao seu gosto, apague o fogo e prepare uma tigela com ovos (1 por pessoa), dando uma batida neles de leve com um garfo, pra misturar as claras com as gemas.
  • Quando o macarrão terminar de cozinhar, escorra e acrescente à frigideira. Religue o fogo, se você tiver apagado. O macarrão úmido vai ajudar a raspar qualquer casquinha de bacon que ficou no fundo da frigideira. Tempere com sal e pimenta à gosto.
  • Apague o fogo e espere a frigideira parar de fazer aquele barulhinho de fritura. Então jogue os ovos e mexa bem pra incorporar. Se jogar na frigideira muito quente vai virar ovo mexido...



*Não estou dizendo pra não ter medo de salmonela, mas acho que há um enorme exagero hoje em dia. A questão é que mesmo que tenha um pouco de salmonela no seu ovo, se ela não tiver a chance de se reproduzir muito (passando muitas horas no calor) a quantidade não é fatal, seu organismo pode dar conta. E pra completar, eu nunca passei mal comendo carbonara, nem ovo quente, nem maionese caseira... mas eu posso ter estômago de avestruz! hehe.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Core Collection da Real Techniques, qualidade a um bom preço

foto: RealTechniques.com

Os pincéis da Real Techniques quase não precisam de apresentação. A fama deles já atravessou fronteiras e, em todas as línguas, vemos os profissionais de maquilhagem, ou aficionados do tema, a usá-los. E não é por acaso.

A Real Techniques é uma marca de pincéis criados pela maquilhadora Sam Chapman, conhecida pelo canal de youtube  e blog Pixiwoo, que gere com a irmã. As duas profissionais dão dicas de beleza, comentam produtos e têm imensos tutoriais de looks fantásticos, para qualquer um de nós seguir.

Feitos de pêlo sintético, amigo dos animais, e com pegas de alumínio e borracha na ponta para um manuseamento fácil, estes pincéis tornaram-se os meus melhores amigos da maquilhagem do rosto. A marca garante que "as fibras suaves ajudam a criar um acabamento sem defeitos e de alta-definição em qualquer tipo de luz - desde a natural à artificial". Tenho a Core Collection e não podia estar mais satisfeita com os resultados.

O conjunto vem com quatro pincéis, que podem ser usados com produtos em creme, líquidos ou em pó. Já experimentei com os três e devo dizer que eles se portaram sempre muito bem, deixando efectivamente a minha pele maquilhada, mas de um acabamento praticamente imperceptível. Muito mais natural do que aplicar a base com os dedos. Aliás, mesmo nos dias em que, por rapidez, aplico o BB cream desta forma, uso um pincel com o pó matificante para dar um ar mais polido e "sem maquilhagem".

Dentro de um estojo preto bem simples, e que pode servir inclusivamente de base de apoio para um acesso rápido, vêm pincéis para usar com o corrector ou nos lábios (Detailer Brush), para aplicar a base líquida (Pointed Foundation Brush), para uma cobertura perfeita com pós e minerais (Buffing Brush) e para modelar, com iluminador, bronzer ou blush (Contour Brush). A única que acho que poderia ser um bocadinho maior é a segunda, embora a use frequentemente e consiga tirar todo o partido dela.

Outra grande vantagem deste conjunto é o preço. Vendido na BeautyExpert por 22,35€/ca R$64 (promoção), na Feelunique  e na LookFantastic por 26,24€/ca R$75, na Amazon dos EUA  por 15$/ ca 11€/ ca R$32 e na Amazon do Reino Unido por ca £17 / ca 20€/ caR$57, o custo de cada pincel é bastante reduzido, quando comparado com outros com a mesma qualidade.  

Aconselho sem reticências, nem dúvidas, a tod@s que estejam à procura de pincéis que façam, de facto, diferença na hora de aplicar os produtos. A gama tem ainda outro conjunto, para olhos e individuais, para  acabamento, que complementam este kit. Eu vou com certeza estar atenta a promoções e códigos de desconto, para aumentar  a minha colecção. 


Que pincéis costumam usar? Têm alguma marca favorita?

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Descoberta da Semana - Como identificar os meus undertones?


Andando à procura de um novo pó compacto, decidi alargar a busca a outras marcas, incluindo a MAC, para ver se alguma destronava o meu querido Parure da Guerlain, no tom Beige Ultime. Como pesquiso principalmente na internet, decidi informar-me melhor sobre os melhores produtos do mercado e, o mais essencial, como escolher o meu tom.

Já li imenso sobre o undertones (a cor da nossa pele que não é visível e não se altera, ao contrário da superfície, que pode estar mais ou menos morena), mas não sabia da sua importância para escolhermos uma base, um corrector ou qualquer outro produto facial. Pode ser a diferença entre termos um ar luminoso e radiante e estarmos acinzentados. Tudo por causa dos produtos que escolhemos.

Assim, encontrei no site The Beauty Department, como há em tantos outros, os passos para identificar o nosso tom e, a partir daí, fazer uma compra consciente e que nos torne ainda mais maravilhosas. Eis alguns métodos que aconselham vários profissionais:

1. Podemos olhar para as veias no nosso pulso, com a palma da mão para cima, em plena luz do dia. Se as veias parecerem azuladas, então o nosso tom é cool. Se, por outro lado, tiverem uma tonalidade mais esverdeada, seremos warm. Uma outra opção, é termos umas veias que pareçam azuis e outras verdes, nesse caso faremos parte dos sortudos que são neutros (a quem fica bem a maioria da maquilhagem).

2. Em casa, num espaço bem iluminado e em frente a um espelho, podemos enrolar o cabelo com uma toalha branca e colocar um tecido branco sobre os nossos ombros, envolvendo a face. Quanto mais branco à nossa volta melhor, pois vai acentuar e reflectir o tom que se esconde sob a superfície da nossa pele. Se parecermos meio azulados, significa que somos cool, amarelada é porque somos warm e, se ficarmos esverdeados seremos neutros.

3. Outra opção, que eu pessoalmente acho mais difícil para a identificação do tom, é com a ajuda de um acessório/ bijuteria. Os colares de ouro/dourados ficarão mais harmoniosos em peles warm, enquanto que os prateados ou de platina em pessoas com tons cool. Neste passo, temos de esquecer a preferência pessoal e tentar analisar friamente qual é o mais harmonioso, quando em contacto com a nossa pele. Eu, por exemplo, passei anos a pôr de lado os dourados e a usar apenas anéis e fios prateados, mas, quando experimentei o meu colar cobre amarelo estilo egípcio, assentava muito melhor, além de dar um brilho à pele diferente. Se ambos ficarem igualmente bem é porque provavelmente somos neutros.

Tenham isto em atenção sempre que forem comprar um produto facial. Às vezes, o tom superficial pode induzir-nos em erro; nem todas as pessoas extremamente claras são cool, nem todos os morenos são warm. Os undertones fazem imensa diferença na hora de aplicar um produto que nos fique efectivamente bem.

Os warms deverão procurar uma base nos tons amarelo e pêssego, e ficarão extremamente bem com maquilhagem nos tons terra, dourado, bronze e qualquer blush alaranjado. Os cool, por sua vez, têm as bases neutras ou com tom rosa e as cores preferenciais para os olhos e lábios serão os rosa, magenta, cinzento, branco e outros tons de pedras preciosas, como esmeralda ou safira . Se virem nos balcões das marcas (e agora estou a lembrar-me especificamente da Chanel), há beiges dourados e beiges rosados, para se adaptar a cada undertone. Eu, por exemplo, como sou warm, sou o Beige Sable da Chanel, tendo a maquilhadora me aconselhado a fugir de todos os que têm base rosa (e havia vários).    

Agora, com a MAC, o que acontece? Os produtos faciais da MAC são marcados com C= Cool NC= Neutral Cool,  N= Neutral, NW= Neutral Warm e W= Warm. Quando fui ao balcão, dirigi-me imediatamente aos NW, porque achei que seriam os mais indicados para o meu tom warm. Contudo, a nomenclatura da MAC é baseada nas roda de cor de maquilhagem profissional, correspondendo as letras ao tom que vai neutralizar e equilibrar o nosso tom. Assim, na verdade, a correspondência será C= pele amarelada, NC=pele beige dourada, N= pele beige, NW= pele beige rosada e W = Pele rosada. Depois de saber isto, entendi muito melhor a sugestão da conselheira da marca (que estava atarefada e não me soube responder ao sincero "Mas eu sou warm, na MAC é ao contrário?").

Com esta informação, já vou muito mais confiante comprar produtos faciais. Até agora, sempre tinha ido para os beiges, embora, de facto, houvesse uns que me ficavam melhores do que outros. Mas, claro, estas são linhas guias que ajudam a escolher o que nos fica melhor. Apesar de saber que fico muito bem com sombras em tons terra, gosto de, de vez em quando, usar uns rosas, uns violeta, azuis e qualquer outra cor que se adeque ao meu estado de espírito. Também tenho blushes rosa que adoro e que não deixarei de usar. 

Ooops, o post foi longo desta vez... Espero não ter cansado ninguém e que esta informação vos seja tão útil quanto a mim, que gosto de perceber porque me querem vender determinado produto e cor, para ter a certeza que não chegarei a casa e me arrependerei milhões de o ter comprado. :) 



Já tinham os undertones em atenção ao escolher os produtos?

terça-feira, 11 de junho de 2013

Duo Samba da Dior para uma conjugação eléctrica de mãos e pés

foto: Dior.com

A colecção de Verão da Dior, Birds of Paradise, tem cores lindíssimas, que evocam as várias tonalidades de aves exóticas e os imensos tons do mar. Faz-me lembrar o calor tropical e as praias de palmeiras, onde o areal dourado termina para dar lugar a um azul que vai escurecendo em degradé. Muito bonita.

Além dos produtos faciais, com blushes/bronzers corais, de um BB cream da linha Nude, e de sombras e lápis para os olhos inspirados nas magníficas penas de pavões azuladas e lagoas azuis, a marca lançou ainda dois conjuntos de dois vernizes/esmaltes cada - o Bahia (azul e rosa) e o Samba (turquesa e verde menta). Eu tenho o último.   

Em primeiro lugar, adoro o nome "Samba". Confesso que acho piada a todas as colecções que evocam, de certa forma, aspectos culturais ou os lugares que conheço, com os quais me identifico (como as Tshirts da Mango), e, desta vez, tive de me conter para não comprar também os Jelly Lip Pen Carioca e Copacabana  e, especialmente, a sombra Parati (como eu adoro Parati!). Mas, apesar de me ter aliciado, não é o nome que faz o verniz/esmalte. 

As duas cores são muito bonitas. Quer o verde menta, cremoso e ligeiramente brilhante, opaco em duas camadas, quanto o turquesa metalizado, com reflexos que conjugam harmoniosamente com o anterior, se adaptam na perfeição às cores deste Verão. A textura espessa de ambas dá um acabamento profissional, que dura alguns dias se usado um top coat. Pensadas para conjugar pés e mãos, como um biquini, os duos da Dior completam um look alegre e descontraído, criando, como sugere a marca, uma "silhueta eléctrica".   

Nas minhas unhas, que não são muito grandes, consigo trabalhar bem com o pequeno pincel, mas acho que, quem tiver dedos e mãos maiores, pode ter alguma dificuldade na aplicação. Não só o pincel não é dos espalmados, de uso fácil, como os frascos também são bastante pequeninos, o que dificulta o manuseamento. Especialmente se tiverem o jeito que eu tenho para pintar as unhas (como podem ver na foto). :)

Outro pequeno senão, o preço (25€, na Feelunique.com). Apesar de não ter encontrado nenhum substituto no mercado a estas cores, que são de facto únicas, este é um produto caro pela quantidade que traz em cada frasco (7ml). Eu comprei em promoção, porque queria ter algo desta colecção, que eu acho fantástica, e, como andava atrás de vernizes/esmaltes desta cor há algum tempo, aproveitei. 

É, essencialmente, um produto de tendência, que servirá na perfeição para o meu Verão, especialmente com o biquini da H&M, que eu adoro, em coral, e que tem nas pontas umas pedras exactamente nestes tons.  

Avaliação:
Qualidade - 8/10
Pigmentação - 9/10
Textura - 9/10
Duração - 8/10
Aplicação - 9/10

NOTA FINAL: B+


De que cor costumam pintar as unhas no Verão? Conjugam pés e mãos?

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Look Pushing Daisies #2 - Se o Sol não vem até nós...


Depois de uma maquilhagem caqui, da qual gostei imenso, decidi fazer um look que marca a personagem feminina principal, a Chuck. Quis, desta vez, mostrar o lado alegre da série, com os tons quentes e vibrantes da rapariga a quem foi dada uma segunda oportunidade na vida.

Gostava de quase tudo na Charlotte, desde a forma genuína e leve como encarava as aventuras do dia a dia, aos vestidos e os casacos que usava (bem parecidos com o estilo que encontramos na ModCloth). E, como não podia deixar de ser, a maquilhagem sempre natural, sempre divertida, voltada para tons de pêssego, coral, vermelho, amarelo, incentivava a minha criatividade, sem sair dos limites do usável. Espero que gostem e que aproveitem, para um dia bonito e sorridente de Verão.


Produtos em Teste da Semana

Há quinze dias, decidi que teria, todas as semanas, produtos em teste. Da primeira vez, escolhi tantos produtos que os posts se alongaram por duas semanas, estando ainda em falta o meu comentário sobre a Core Collection da Real Techniques. Desta vez, optei por ser mais realista (nada fácil!), tendo em conta a minha disponibilidade para escrever e partilhar convosco o que vou achando dos produtos que uso no momento. Assim, cheguei a um pó facial, um conjunto de vernizes e uma sombra original. 

Fiquem atent@s! :) 


Não se esqueçam de fazer gosto/curto/like na página do Facebook da Salinha (aqui do lado direito) para estarem sempre actualizad@s. Obrigada. :) 

sábado, 8 de junho de 2013

Looks do Quotidiano #1 - Maquilhada em 5 minutos, no carro


Esta semana, à semelhança da anterior, andámos numa correria, em congressos que duraram todo o dia, noutra cidade que não a nossa. Em viagem curtas, tento sempre reduzir a minha maquilhagem para algo que me caiba em apenas uma (ou máximo duas) bolsinhas pequenas (ou talvez médias, para quem for mais minimalista :) ), que sejam práticas e não ocupem assim tanto espaço. Já me basta o meu necessaire de produtos faciais que, esse sim, confesso que é enorme e pesa muito (tenho de ver se encontro os meus produtos em formato de viagem para facilitar o processo).

Como tal, e tornando-se impossível fazer o look inspirado da semana (que já sei qual será, e publico-o na segunda), pensei em algo partilhar que pudesse ser útil para o dia a dia - a maquilhagem que está nessa bolsinha pequena, que uso no meu quotidiano mais formal/profissional. É tão prática e fácil que, assumo, me maquilho muitas vezes no carro (quando não vou a conduzir, claro. :) ), em cinco minutos.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Romeu e Julieta

por Carol Vannier 

Tem combinação melhor que goiabada e queijo? Acho que nem Romeu e Julieta deviam ser tão perfeitos um pro outro...

Para nós brasileiros, a combinação de doces de pasta ou compota com queijo (principalmente o queijo minas) é bem mineira, e inclui também doce de mamão verde, doce de leite, só para citar os meus favoritos. Mas os mineiros não foram os primeiros a ter essa idéia. Na Espanha é tradicional combinar o queijo manchego com marmelada (membrillo), e pelo que pude ver pesquisando, a marmelada também é muito apreciada em Portugal, também em combinação com queijos locais. Há quem diga que a goiabada foi justamente a maneira que os colonos portugueses encontraram de substituir a marmelada. E como substituiu bem!

Mas hoje o que eu trago não é uma receita de goiabada com queijo, que seria a mais simples possível (corte uma fatia de cada e nhac!*), mas sim de uma Cheesecake com cobertura de goiabada. A cheesecake é um doce que foge às nossas tradições brasileiras e ibéricas, mas já ganhou muito espaço na minha cozinha. É um doce não muito doce, pode ser pouco gorduroso dependendo da receita, e é definitivamente delicioso. Mas como não é aquela receita de mãe, e sempre vem de fontes estrangeiras, com ingredientes que nunca são exatamente o que encontramos, pode ser difícil chegar a uma receita boa e consistente. Eu sei por experiência...

Atualmente tenho duas favoritas, ambas usando cream cheese, mas ainda busco uma terceira, que use a ricota que se compra no Brasil, sem ficar muito seca. Das duas com cream cheese, uma não vai no forno, mas precisa gelar bem, e leva um bocado de creme de leite fresco, então fica um pouco mais cara de preparar. A outra, que compartilho aqui hoje, é quase que só a base de cream cheese e ovos, o que também pode ficar caro, mas recomendo a quem quiser fazer que vá a alguma loja de produtos para confeitagem (no centro de Niterói tem a Renata's), e compre uma embalagem de 1kg de cream cheese, que sai por volta de R$13 e dá e sobra pra uma cheesecake gigante, ou umas duas pequenas.

Já na cobertura das cheesecakes, é tradicional usar geléias mais ou menos ralas, ou compotas de frutas. Só que claro que na tradição inglesa e americana, são sempre aquelas 'berries' caras, difíceis de encontrar, e muitas vezes sem gosto quando compradas aqui no Brasil. Apelar pra uma geléia comprada pronta e de boa qualidade é certeza de sucesso, mas é mais uma despesa nessa receita. Então eu já me debati muito com esse ponto, e uma vez substitui a cobertura por fatias bem finas de kiwi fresco, garantindo o azedinho, e achei que ficou muito bom, e ainda menos doce. Mas acho que a substituição campeã é mesmo a goiabada. Claro que tem que ser uma goiabada com ponto de geléia, então se comprar pronta uma cascão, corte uns pedacinhos e dissolva numa panela com um pouco d'água, num fogo baixo. Como aqui em casa rola sempre uma produção de goiabadas mais ou menos pastosas, é só uma questão de abrir a geladeira =)

LONDON CHEESECAKE ou CHEESECAKE ROMEU E JULIETA

Adaptado do How to be a domestic goddess, da Nigella Lawson


Ingredientes:

Crosta:
150g biscoito maisena (um pouco menos se quiser a crosta mais fina)
75g manteiga, derretida ou bem macia
1 c. chá canela em pó

Recheio:
600g cream cheese
120g açúcar
3 gemas
3 ovos
1 1/2 c. chá extrato de baunilha
1 1/2 c. chá suco de limão

Cobertura opcional (essa receita originalmente não usa geléia em cima, mas uma cobertura de sour cream):
3/4 xícara (180ml) sour cream**
1 c. sopa açúcar
1/2 c. chá extrato de baunilha

Cobertura de Goiabada:
Goiabada cascão amolecida em fogo brando com um pouco de água, até ficar pastosa. Quantidade à gosto.

Preparo:

1. Triture os biscoitos até virarem farelos. Acrescente a canela e a manteiga e bata mais (ou misture com a mão, já na fôrma, pra não ter um processador amanteigado pra lavar, mas só um processador esfarelado). Forre o fundo de uma fôrma de aro removível (de 20 a 23cm de diâmetro), pressionando o biscoito com as mãos. Ponha a fôrma na geladeira e pré-aqueça o forno a 180ºC.

2. Bata o cream cheese delicadamente até que ele fique mais cremoso, e então adicione o açúcar. Incorpore à mistura os ovos e as gemas, e por fim a baunilha e o suco de limão. Coloque uma leiteira de água pra ferver.

3. Envolva a fôrma de aro removível com papel alumínio, de forma a cobrir o fundo e as laterais, fazendo duas camadas. Coloque a forma num tabuleiro (o mais alto que tiver).

4. Despeje o recheio de cream cheese na fôrma e depois despeje a água fervente no tabuleiro ao redor. A altura da água deve ser metade do tabuleiro, para não derramar. Coloque o conjunto no forno e asse por 50 minutos, e comece a preparar o sour cream, se for usar. O aspecto no fim do tempo deve ser firme, mas não muito rígido. Você deve poder despejar a cobertura de sour cream sem que ela afunde no recheio.

5. Bata o sour cream com o açúcar e a baunilha, e despeje sobre a cheesecake. Devolva para o forno e asse por mais 10 minutos.

6. Remova o tabuleiro do forno e retire a fôrma com cuidado, desenrole o papel alumínio e deixe esfriar num rack. Refrigere até a hora de comer. Coloque a cobertura de goiabada depois de desenformar e antes de servir.



*referência a um blog que acompanho e adoro, o Come-se, onde a autora termina suas receitas com essa bela onomatopéia ;)

** substituição para o sour cream: misturar 1 c. sopa de suco de limão a 1 xíc. de creme de leite fresco,  deixar a mistura descansar em temperatura ambiente por 30 minutos. Guarde na geladeira até a hora de usar.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...